Você está em:

Diáconos permanentes celebram o padroeiro São Lourenço

Os diáconos permanentes da Arquidiocese de Belo Horizonte se reuniram na última segunda-feira, dia 10 de agosto, para celebrar a Festa do Padroeiro, São Lourenço. A Missa, na Paróquia Nossa Senhora da Divina Providência, bairro Ouro Preto, foi celebrada pelo arcebispo dom Walmor e concelebrada pelo bispo auxiliar dom Luiz Gonzaga.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Lourenço
O espanhol São Lourenço nasceu em 225 e morreu martirizado em 258, no dia 10 de agosto, em Roma. São Lourenço é modelo de entrega, escuta da Palavra, seguimento e discipulado. Está entre os diáconos do início da Igreja de Roma. Eles eram considerados os guardiões dos bens da Igreja e dispensadores de ajuda aos pobres. O nome Lourenço é o mesmo que Laureamtenens, que significa Coroa feita de Louro, como os vencedores recebiam após suas vitórias. São Lourenço foi ajudante do Papa Sisto II e responsável por um centro dedicado aos pobres.
 
Diaconato Permanente
Assim como padres e bispos, os diáconos compõem a hierarquia da Igreja. Com a ordenação, o diácono deixa de ser leigo e passa a fazer parte do clero. Recebe um Sacramento que o faz diácono por toda a vida. Diferentemente de padres e bispos, o diácono permanente pode casar-se. Além do diácono permanente, existe o diácono transitório, que é aquele que recebe o Sacramento da Ordem no grau diaconal para posteriormente receber o Sacramento da Ordem no grau presbiteral, tornando-se padre. Já o diácono permanente, sendo casado, não pode ascender ao grau de padre, portanto, é permanentemente diácono. O diácono deve dedicar a vida ao serviço, seguindo os ensinamentos de Cristo. Diaconia significa servir. Entre outras atividades, pode celebrar batismos e casamentos, além de abençoar fiéis.