Você está em:

Cathedral de Christo Rei: publicação conta história da Igreja-Mãe da Arquidiocese de BH

O Memorial da Arquidiocese de Belo Horizonte apresenta o livro: Cathedral de Christo Rei – Belo Horizonte, um importante relato e registro histórico. O manuscrito, coordenado pela historiadora Flávia Reis,  conta a história da Igreja-Mãe da Arquidiocese de BH, cuja ideia inicial de construção nasceu com o arcebispo metropolitano dom Antônio dos Santos Cabral, na década de 1930, sendo retomado pelo arcebispo metropolitano de Belo Horizonte dom Walmor Oliveira de Azevedo, com a intenção de se construir, com a invocação de Cristo Rei, uma nova catedral para a capital.

Com a leitura da publicação, é possível conhecer a história e personagens que fizeram parte da concepção da ideia da Catedral, até os dias atuais, da sua construção. Clique aqui, acesse o livro digital.

Historiadora Flávia Reis:  “Foi retomado pelo Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, o intento de se construir uma nova catedral para a capital, com a invocação de Cristo Rei. Com projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, será edificação de relevância, seja com relação ao seu porte, seja quanto ao seu desenho arquitetônico, ou, ainda, quando à importância social e cultural que trará consigo, abrigando museus, centros culturais, além de suporte e atendimento à população carente.

As primeiras ideias de construção de uma nova Sé para a Arquidiocese de Belo Horizonte remontam, no entanto, aos seus primórdios, e a seu primeiro Arcebispo Metropolitano, Dom Antônio dos Santos Cabral (1884-1967), que buscou executar projeto de edifício com a mesma invocação de Cristo Rei, durante seu arcebispado. A fim de se reconstituir o processo em que se deu esse empreendimento, foi
executada pesquisa histórica sobre o referido projeto, que buscava substituir a Catedral de Nossa Senhora da Boa Viagem, considerada por Dom Cabral como provisória, por julgar que suas dimensões seriam insuficientes para comportar a Sé de uma Arquidiocese com o porte da de Belo Horizonte, capital mineira.”

A publicação contextualiza os eventos que ocorreram em torno do tema, seus antecedentes históricos, seguidos da pesquisa sobre o projeto propriamente dito, finalizando com a paralisação de suas obras.

“É justo e salutar edifiquemos aqui, para vós, Senhor, um Santuário que seja reflexo de vossa glória, a expressão de nossa fé, afirmação da realeza do Verbo incarnado. Este templo magnífico será a Catedral de Cristo-Rei. Para edificá-lo, ó Deus, ungí nossos corações, tornando-nos dignos do dom que vos queremos ofertar.”

Dom Antônio dos Santos Cabral