Você está em:

Cardeal Turkson abre Encontro Mundial dos Movimentos Populares

 

Trabalhadores de todo o mundo, especialmente dos países latino-americanos, estão representados no Encontro dos Movimentos Populares em Santa Cruz de La Sierra, Bolívia. O Presidente do Pontifício Conselho para a Justiça e a Paz, Cardeal Peter Turkson, abriu o Encontro, ao lado do presidente boliviano, Evo Morales. O Papa Francisco é aguardado, com grande ansiedade, para o encerramento do evento, nesta quinta-feira, dia 9 de julho. Participam líderes de movimentos, pastorais sociais, sindicatos e governos. O objetivo é aprofundar o debate iniciado na primeira etapa do Encontro realizada em Roma, em outubro e 2014.
 

Cardeal Peter Turkson

Da Arquidiocese de Belo Horizonte, estão presentes Maria da Glória Santos, membro do Círculo Bíblico da Paróquia Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, bairro Santa Cruz, e Jair Gomes Pereira Filho, da Pastoral Social  e da Comunidade Nossa Senhora da Esperança – Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz, no bairro Caiçara.

 

Representantes da Igreja Católica têm participação ativa. Eles ressaltam, especialmente,  a necessidade de avanços no processo de democratização da terra e o desejo de escutar, ainda mais, o grito da população pobre e somar-se a ele.

 

Maria da Glória Santos
 

O Movimento Mundial Cristão pela Qualidade do Trabalho apresentou críticas e propostas, afirmando que os pobres precisam se organizar para resistir à exclusão social, à escandalosa desigualdade e à degradação do ambiente onde vivem. Defendeu os movimentos sociais como instrumentos na garantia dos direitos básicos do ser humano à terra, ao trabalho e à moradia, questões que, segundo a entidade, nem o mercado nem os governos têm resolvido. “A Igreja quer a união das pessoas e os movimentos para que se fortaleçam nesse processo e conquistem melhores condições de vida para as pessoas, as famílias e os povos”.

 

Segundo Jair Gomes Pereira Filho, que , além de católico atuante, é diretor do Sindieletro-MG, os temas dos primeiros dias do encontro privilegiaram  questões relacionadas à Terra e Meio Ambiente; ao Agronegócio versus Agricultura Familiar; e Qualidade de Vida e Desenvolvimento Social versos Capitalismo. 

 

Jair Gomes Pereira Filho
 
 

Questões importantes relacionadas à realidade brasileira foram levantadas pelo secretário geral da CUT-Minas, Jairo Nogueira Filho. O sindicalista denunciou a Precarização e a Terceirizacao do Trabalho, quando destacou a luta contra o PL 4330 / PLC 30, que amplia a terceirização para atividades fim,  colocando em risco conquistas históricas dos trabalhadores. garantidas pela  Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).