Você está em:

Capela recebe pinturas que retratam o cotidiano do Aglomerado Santa Lúcia

A Capela Maria Estrela da Manhã, que integra a Paróquia Nossa Senhora do Morro (Aglomerado Santa Lúcia), ganhará pinturas que retratam sete dores e sete alegrias vividas por Nossa Senhora. As cenas também apresentam o dia a dia das pessoas que vivem no Aglomerado Santa Lúcia. O painel está sendo desenvolvido pelos artistas Cleiton Gos, que é recifense, e Fabiano Valentino, belo-horizontino. As primeiras três cenas devem ser concluídas no fim de setembro.

O pároco da Paróquia Nossa Senhora do Morro, padre Mauro Luiz da Silva, explica que a tela com as 14 cenas objetiva contribuir para preservar a história da população que vive nas vilas e favelas. A preservação da memória do Aglomerado é missão do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (Muquifu), que integra a Paróquia Nossa Senhora do Morro.
 

Entre as cenas presentes, está o paralelo entre o nascimento do Menino Jesus e a origem do projeto Caminhada pela Paz, que todos os anos é realizado no Aglomerado. Há também uma cena que retrata a Sagrada Família fugindo da perseguição do rei Herodes e a expulsão dos negros e pobres dos centros urbanos.
 

Como homenagem à população negra que vive na periferia, as imagens presentes na Capela Maria Estrela da Manhã são de santos católicos negros. A inauguração da primeira parte do painel ocorrerá durante a Primavera dos Museus, organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus, de 20 a 27 de setembro. A Capela Maria Estrela da Manhã fica na Rua Santo Antônio do Monte, 708, bairro Santo Antônio (Vila Estrela).