Você está em:

Anunciar o Evangelho é vital para a Igreja, disse dom Cláudio durante Congresso de Seminaristas em BH

O presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB, cardeal dom Cláudio Hummes, foi enfático ao afirmar que a Igreja precisa sair para ir ao encontro das pessoas e anunciar-lhes o evangelho. “É vital que a Igreja saia para anunciar o Evangelho a todos, em todos os lugares, em todas as ocasiões. A alegria do Evangelho é para todo o povo”, disse.
 
A afirmação foi feita neste sábado, 11, durante o 2º Congresso Missionário Nacional de Seminaristas, realizado no auditório do Museu de Ciências Naturais da PUC Minas, na Arquidiocese de Belo Horizonte.  De acordo com o cardeal é preciso ir ao povo “com coragem e sem repugnância”. “Não basta lançar a Palavra de Deus da janela da casa paroquial. É preciso sair, ir a campo. Tomar a iniciativa e ir fará você se sentir feliz”, afirmou.
 
Segundo o presidente da Comissão para a Amazônia, é preciso colocar todos os agentes pastorais em constante estado de saída. “O Papa Francisco fala de uma Igreja em saída, não uma Igreja sentada em casa. Um cristão em saída, bispos e padres em saída, seminaristas em saída. Em casa o seminarista já fica sentado, fica gordo”, disse dom Cláudio, provocando risadas dos congressistas. 
 
Dom Cláudio recordou que Francisco propõe uma reforma “grande e profunda” na Igreja e recordou suas palavras quando foi eleito: “sonho com uma Igreja pobre para os pobres”. “A reforma defendida pelo Papa é transformar a Igreja numa Igreja missionária e, consequentemente, capaz de gritar e de denunciar as injustiças”, sublinhou o cardeal. “Não tenham medo ser profetas, meus caros seminaristas”, acrescentou.
 
O cardeal lembrou que o papa tem chamado a atenção do mundo com seu jeito simples e próximo das pessoas, mas alertou para o risco de suas palavras e testemunho ficarem sem incidência na vida da Igreja e das pessoas. “Não basta aplaudir o papa, mas é necessário deixar interpelar-se por ele, algo tem que mudar. Se isso ainda não aconteceu, você fazendo do papa apenas um show”, disse.
 
Próximo de completar 81 anos, dom Cláudio falou com entusiasmo de suas visitas às várias dioceses da Amazônia. “Quando a gente vai para a Amazônia, a gente tem que arregaçar as mangas e, quando volta, chega feliz em casa, com cheiro das ovelhas”, afirma. Aos padres deixou um recado: “Padre, quando estiver desanimado, saia, levante-se, vá em direção às periferias, ao povo sofrido, ouça o que ele dirá e aqueça seu coração, assim como Jesus aqueceu o coração dos discípulos de Emaús”.