Você está em:

A aliança do Sinai

No monte Sinai, Deus se manifesta a Moisés, no epsódio da  sarça ardente

Antes de fazer nossa reflexão sobre a Aliança do Monte Sinai, lugar onde Deus se revela e fala face a face com Moisés, vamos dedicar esse momento para conhecermos com mais profundidade os textos bíblicos que falam desse lugar.

 

O monte Sinai refere-se a uma montanha envolta por um deserto ao qual se dá seu nome. É a montanha em que Deus chama Moisés para conversas sempre mais íntimas e, finalmente revela sua misericórdia. No livro do Êxodo, capítulo 33, versículo 6, encontramos esse monte identificado com o Monte Horeb.

 

Monte Sinai /Horeb é a montanha de Deus, lugar onde Moisés recebe a revelação do nome de javé e o profeta Elias encontra, mais tarde, o segredo de sua presença (Ex 3,1; 1Rs 19,8).

Falar do monte Sinai / Horeb é falar do lugar das teofanias da revelação do decálogo, da Aliança, de sua negação no culto do bezerro de ouro e da restauração final.

Esse monte é o lugar onde, primeiramente, temos a história da sarça ardente. Deus se faz presente e no diálogo com Moisés dá-lhe a missão de ir em busca do seu povo que se encontrava escravizado no Egito.

No retorno do Egito, trazendo consigo o povo liberto, Moisés tem novamente um novo encontro com Deus no monte Sinai e ali recebe os códigos da aliança (Ex 20,22-23,33; 34,10-28).

É também neste mesmo lugar que, segundo a tradição sacerdotal, tem-se a definição e a construção do santuário (Ex 25-31; 35-40), as principais leis rituais (Levítico) e a organização do povo antes de sua partida rumo à terra prometida (Nm 1,1-10,28).

Mais tarde, no caminhar da história, também o profeta Elias caminha para o monte Horeb e ali o Senhor se revelou a ele, na brisa suave.

Encontramos referencias ao monte Sinai em alguns escritos poéticos (Dt 33,2; Jz 5,5; Sl 68,18; Ne 9,13; Eclo 48,7) e nos escritos apostólicos do Novo Testamento (At 7,30-38; Gl 4,24-25). No próximo artigo, continuaremos com a reflexão sobre o Monte Sinai na aliança de Deus com seu povo.

 

Neuza Silveira de Souza
 coordenadora da Comissão Arquidiocesana de Catequese de BH