Você está em:

Papa Bento XVI destaca importância da Catedral Cristo Rei

As impressões que o Papa Bento XVI teve sobre o projeto da Catedral Cristo Rei foram as melhores possíveis. Quem revela é o arquiteto, gerente de obras da Sociedade Mineira de Cultura (SMC) e professor da PUC Minas, Leonardo de Araújo Pereira, que, no início do mês de julho, esteve no Vaticano, representando a Arquidiocese de Belo Horizonte na abertura da exposição “O esplendor da verdade, a beleza da caridade”, realizada em homenagem aos 60 anos de sacerdócio do Papa. Até setembro, estarão expostas no Vaticano 60 obras de um seleto grupo de artistas. Entre elas, a maquete que reproduz a concepção arquitetônica de Oscar Niemeyer para a nova Catedral metropolitana da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Na abertura da exposição, Bento XVI percorreria um corredor e observaria todas as obras. Seguindo determinação do cerimonial da Santa Sé, artistas e representantes não teriam contato direto com o Papa, mas uma série de acontecimentos permitiu que Leonardo apresentasse o projeto da Catedral para o Santo Padre. Os organizadores da exposição não haviam comunicado previamente aos autores de uma das peças que o acesso à galeria, durante a abertura do evento, seria restrito ao Papa e seus assessores diretos. Como os artistas compareceram ao local somente para a apresentação, depois de conversarem com os organizadores, conseguiram uma exceção. Leonardo, que já havia solicitado autorização para detalhar o projeto e esteve atento ao desenrolar da situação, também conseguiu um momento para se dirigir a Bento XVI e apresentar a Catedral.

Católico, Leonardo de Araújo Pereira disse que sentiu grande emoção, “indescritível, que não pode ser sintetizada em palavras”, ao estar na presença de Bento XVI. Ele conta que o Papa caminhou por todo o percurso e parou em cada obra exposta. “Mas acredito que ele dedicou mais tempo para observar a Catedral Cristo Rei”, comenta. O arquiteto disse que foram cerca de 10 minutos, tempo em que Leonardo apresentou a concepção arquitetônica, a capacidade para receber fiéis e o objetivo da Arquidiocese de Belo Horizonte de aproximar as instituições que desenvolvem o trabalho pastoral e social da Igreja.

Sobre as considerações de Bento XVI a respeito da Catedral, o arquiteto disse que o Santo Padre ficou muito impressionado. “É muito bom que ainda hoje existam pessoas com coragem para construir igrejas capazes de acolher tanta gente”, comentou o Papa. O arquiteto disse que o Sumo Pontífice demonstrou encanto especial pelo campanário e perguntou por que o projeto prevê a instalação de sete sinos. Leonardo afirma que o Papa, admirador da música, se mostrou satisfeito com a resposta dele, de que cada sino representaria uma das sete notas musicais. Bento XVI ficou muito feliz ao saber que o serviço pastoral da Igreja metropolitana de Belo Horizonte terá na Catedral Cristo Rei um grande centro. “Com as pessoas próximas, agiliza e melhora o serviço da Igreja”, comentou o Sumo Pontífice.

Leonardo conta que também ficou muito impressionado com a reação de jornalistas e artistas diante do projeto. De acordo com ele, todos ficaram admirados ao saber que a Catedral foi projetada por Niemeyer, hoje, com 103 anos de idade. “Ele é bastante conhecido no exterior”, salienta.

A exposição “O esplendor da verdade, a beleza da caridade” termina no dia 4 de setembro. De acordo com o arquiteto, a maquete que apresenta a Catedral Cristo Rei será devolvida para Belo Horizonte e exposta para toda a comunidade.

Veja mais fotos da exposição