Você está em:

Nova Evangelização é tema de Sínodo dos bispos

Os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II são celebrados com um ‘Ano da Fé’ e a realização de um Sínodo dos Bispos sobre a ‘Nova Evangelização.

“Penso que estes 50 anos de distância nos permitirão uma reflexão que conduza o Concílio aos seus núcleos fundamentais e permita compreender quais os seus contributos para a profunda transformação da Igreja, no permanente caminho de aproximação à sua identidade e aproximação ao mundo, para o qual existe”, analisa o teólogo João Duque, presidente do Centro Regional de Braga(Universidade Católica Portuguesa).

“Nessa redescoberta, considero fundamental a orientação da fé, pois é nela que se encontra a base da correta ou incorreta realização do que pretendeu o Concílio”, acrescenta.

O Papa anunciou em outubro deste ano, a convocação de um ‘Ano da Fé’ entre outubro de 2012 e novembro de 2013, para assinalar os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II (1962-1965).

Ainda em 2012, de 7 a 28 de outubro, será realizada a 13ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, dedicada ao tema “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”.

O texto preparatório desta reunião magna destaca que, desde o Concílio Vaticano II até hoje, “a nova evangelização se propôs, cada vez mais com maior lucidez, a ser um instrumento para enfrentar os desafios de um mundo em acelerada transformação”.

Para Elias Couto, editor da revista digital ‘Cristo e a Cidade’ (www.cristoeacidade.com), “a criação do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização, pelo Papa Bento XVI, pode representar o regresso à originalidade da fé e à capacidade de síntese que fez das primeiras Igrejas poderosos focos geradores de cultura, uma cultura nova que reinventou o mundo antigo. A nova evangelização é um dever da Igreja face à antiga Europa cristã”.