Você está em:

Nota de falecimento: Padre Pier Luigi Bernareggi (Padre Pigi)

O arcebispo dom Walmor, os bispos auxiliares – dom Joaquim Mol, dom Geovane Luís e dom Vicente Ferreira -, sacerdotes, diáconos, consagrados e consagradas e evangelizadores leigos se unem aos familiares, amigos e, especialmente, às pessoas que buscam a efetivação do direito universal à moradia digna para rezar pelo padre Pier Luigi Bernareggi, o padre Pigi. O sacerdote faleceu nesta sexta-feira, aos 81 anos, no Convivium Emaús, onde residia.

Em 2017, dom Walmor celebrou Missa pelos 50 anos de sacerdócio do padre Pigi. Crédito da imagem: Kika Antunes

Dom Walmor, com muita reverência, lembra da trajetória do padre Pigi junto aos mais pobres. “Nosso amado padre Pigi era aguerrido defensor dos excluídos, especialmente dos que são desrespeitados no direito fundamental à habitação. A sua vida simples, a sua coragem evangélica, a sua fidelidade aos ensinamentos de Jesus são marcas inapagáveis, lições para cada pessoa. Um sacerdote dos pobres, respeitado e admirado por todos. Um homem de Deus, de fé exemplar, deixando como herança lições de inabalável confiança em Deus, vida dedicada à missão, fora de sua pátria, fazendo de nós seu povo, sua

família, seu chão. Repouse em paz , amado padre Pigi. A Igreja e os que buscam o direito à moradia digna ganham, no céu, um intercessor. A amada Mãe Maria, Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas Gerais, receba padre Pigi. O Bom Deus o acolha em sua infinita misericórdia.”

Padre Pigi, depois de se dedicar a muitas paróquias e aos mais pobres, viveu os últimos anos de seu ministério sacerdotal no Convivium Emaús , que também é lar dos sacerdotes da maturidade. Lá recebia cuidados, vivia em acolhedora comunidade.

O velório e sepultamento do padre Pigi, em razão da pandemia e da necessidade de se respeitar o distanciamento social, será restrito a poucas pessoas. O convite é para que seus amigos e admiradores possam se unir em oração de suas casas, homenageá-lo com preces, perseverando no caminho que o próprio padre Pigi, com o seu exemplo, ensinou: preocupar-se com os mais vulneráveis deste tempo. A Missa de Exéquias será às 10h deste sábado, presidida por dom Walmor, no Convivium Emaús,  com transmissão pela página do Facebook do Seminário Arquidiocesano Coração Eucarístico de Jesus (Sacej). Clique aqui para acompanhar. 

Evangelizador entre os sem casa

Filho de Carlo Bernareggi e Giovanna Bernareggi Spinelli, padre Pigi, como era conhecido, nasceu em Milano, Itália, em 6 de junho de 1939. Com doutorado em Filosofia pela Universidade católica Del Sacro Cuore, em Milano, cursou Teologia na Universidade Católica de Minas Gerais. Passou a integrar a Arquidiocese de Belo Horizonte em janeiro de 1964, sendo ordenado presbítero em 17 de dezembro de 1967, pela imposição das mãos do então arcebispo metropolitano dom João Resende Costa.

Em suas atividades sacerdotais, atuou como professor da PUC Minas, foi Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Glória, bairro Eldorado, e Vigário Cooperador da Paróquia Santo Antônio, na Av. do Contorno, em Belo Horizonte. Pároco da Paróquia de Todos os Santos, no bairro Providência, em Belo Horizonte, e Vigário Episcopal da Região Pastoral Norte. Na sua trajetória, o exercício do ministério sacerdotal era indissociável da luta em defesa dos mais pobres, dos mais necessitados. Participou ativamente da criação do Programa Municipal de Regularização de Favela (Profavela), promulgado no dia 6 de janeiro de 1983, sendo o seu primeiro coordenador. Foi um dos criadores da Central Metropolitana dos Sem Casa (CEMCASA) e do projeto do Bairro Metropolitano, sendo decisivo para que cerca de 20 mil pessoas tivessem um lar. Atuou também na Pastoral de Vilas e Favelas da Arquidiocese de Belo Horizonte, dedicando-se incansavelmente para efetivar um Plano Metropolitano de Habitação Popular.