Você está em:

Jubileu reúne centenas de fiéis no Santuário Nossa Senhora da Piedade

Fiéis, sacerdotes, religiosos, diáconos, seminaristas e os bispos de nossa Arquidiocese, dom Luiz Fechio, dom Joaquim Mol, dom Wilson Angotti e o arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo participaram das celebrações pelos 51 anos de proclamação de Nossa Senhora da Piedade como Padroeira de Minas Gerais, no Santuário Nossa Senhora da piedade, em Caeté.

Uma programação especial marcada por momentos de muita fé e devoção. 

Neste domingo, 31, centenas de fiéis de várias paróquias da Arquidiocese de Belo Horizonte, movimentos e pastorais estiveram estiveram no Santuário. Desde cedo já se via o movimento de romeiros na subida da Serra da Piedade –  gente de fé que chegava para as celebrações em caravanas, à pé e de carro.

O Arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo presidiu a Celebração desta tarde, na Igreja Nova das Romarias, concelebrada por sete padres da Arquidiocese de Belo Horizonte. Para dom Walmor, celebrar os 51 anos de proclamação de Nossa Senhora da Piedade como padroeira de Minas Gerais é um grande alegria. “Um momento fecundo vivido aqui nesta magnífica arquitetura divina. Casa de bondade. Casa da Mãe Piedade. Esse Santuário que é o coração Católico de todos os romeiros que aqui vêm em peregrinação há quase dois séculos.” O arcebispo também ressaltou a importância do projeto que ligará os Santuários Nossa Senhora Aparecida (São Paulo) e Nossa Senhora da Piedade (Caeté) – Caminho Religioso da Estrada Real: de Padroeira a Padroeira, para enriquecer ainda mais a fé do povo brasileiro. E disse: “temos a missão especial de levar o Santuário Nossa Senhora da Piedade ao coração de cada mineiro e, depois, para o mundo.” 

Ao final da celebração, dom Walmor lembrou a força do Santuário como fonte de evangelização, convidando todos os presentes e os ouvintes da Rádio América – emissora da Catedral, Rede de Comunicação Católica da Arquidiocese de Belo Horizonte que fez a transmissão da Missa, para participar da Campanha Faço Parte, dizendo que, quando fazemos parte, estamos ajudando a construir um caminho fecundo de amor e evangelização. “Faço Parte porque sou amigo da Serra da Piedade. Faço Parte porque sou devoto de Nossa Senhora da Piedade.”

Um momento especial marcou o encerramento das celebrações deste domingo, quando os fiéis saíram em procissão para a Ermida da Padroeira, levando um grande manto em homenagem à Nossa Senhora da Piedade, mãe de todos os mineiros, nossa Padroeira.

– Veja mais fotos aqui.

Pela Manhã, na Igreja Nova das Romarias, dom Wilson Angotti, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, presidiu a Celebração Eucarística concelebrada pelo padre Carlos Antônio da SIlva (pró-reitor do Santuário) e pelo padre João Geraldo José dos Reis, da Paróquia Nossa Senhora das Neves, que participou com um grande número de paroquianos.

Durante a homilia, citando o profeta Isaías, dom Wilson ressaltou a importância da oração diária para o fortalecimento do corpo e do espírito e para superar as dificuldades da vida. Disse que são estes momentos que aproximam ainda mais as pessoas de Deus. “A palavra de Deus é o alimento de nossas vidas. É o que fortalece a nossa caminhada. A palavra de Deus tem que ser o alimento diário. Como o corpo sente a falta de alimento, também o espírito se enfraquece sem a palavra de Deus. Busquemos ao Senhor para que Ele nos dê força. Para que nada possa nos afastar d’Ele.”

– Veja mais fotos aqui.

Dom Joaquim Mol celebrou no último dia do Tríduo

A Ermida de Nossa Senhora da Piedade recebeu na manhã deste sábado, 30, um grupo de fiéis que foi ao Santuário da Padroeira de Minas Gerais participar da missa presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte dom Joaquim Mol, concelebrada pelos padres Nédio Lacerda e Otávio Juliano.

O bispo, ao saudar os presentes, destacou o caráter acolhedor da Igreja, erguida no século XVIII, local de peregrinações. Posteriormente, durante a homilia, dom Mol lembrou que “é tempo de festa. Há 51 anos Nossa Senhora da Piedade era proclamada Padroeira de Minas Gerais”. O bispo disse que o período de comemoração também é um convite para que todos se renovem. “Com a ajuda de Nossa Senhora da Piedade, é possível ser coerente com a vontade de Deus. Não ceder quando tiver a convicção do que é certo”, afirma. Dom Mol citou o profeta João Batista, como exemplo de coragem para seguir aquilo que é o desejo divino. E lembrou o rei Herodes, influenciável, e que, por isso, se afastou da verdade. No fim, o bispo fez um convite: “Sejamos como João Batista. Cada um dedicando-se com coerência a aquilo que rege nossas vidas, Jesus Cristo, Nosso Senhor”.

O Tríduo preparatório para a Festa dos 51 anos de Proclamação de Nossa senhora da Piedade como Padroeira de Minas Gerais termina neste sábado.

Dom Luiz celebrou no segundo dia do Tríduo

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte dom Luiz Gonzaga Fechio celebrou missa na sexta-feira, segundo dia do Tríduo preparatório para a Festa do Jubileu. A Celebração Eucarística ocorreu também na Ermida.