FRATERNIDADE E SOLIDARIEDADE

Leigos e religiosos sensibilizados com o sofrimento das pessoas que moram nas ruas, integram as equipes dessa Pastoral. Seu principal objetivo é a aproximação daqueles que vivem nas vias públicas, estabelecendo o convívio fraterno e solidário.

Os moradores em situação de rua são, geralmente, imigrantes que deixam o interior de Minas Gerais ou cidadesde outros estados em busca de assistência médica ou emprego em Belo Horizonte. Fazem das ruas e praças da cidade sua moradia. Desempregados, buscam alternativas de sobrevivência.

Na capital, acabam perdendo suas referências. Não têm como comunicar-se com a família, não possuem endereço fixo, não conseguem emprego nem documentos, não têm onde guardar seus pertences. Perdem a identidade e até o próprio nome.

A união dessas pessoas em torno de suas necessidades de sobrevivência, com o apoio da Pastoral de Rua, deu origem à Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável de Belo Horizonte (Asmare)e aos grupos “Moradia para todos” e “Amigos da Rua”.Atua, em parceria com o poder público, em três projetos: República Reviver, Centro de Referência “Projeto Cidadania” e Projeto de Abordagem de Rua.

CONVIVÊNCIA SOLIDÁRIA

Criada em 1987, por meio da Fraternidade das Oblatas de São Bento, a Pastoral de Rua trabalha com o direito de convivência solidária nas ruas, viadutos e “lixões”, estimulando a redescoberta da autoestima e da dignidade do povo da rua.

Nesse caminho, seus agentes trabalham no sentido de incentivar a organizaçãodos moradores de rua em busca da superação do estigma da exclusão e da conquista da cidadania.

A partir da organização comunitária, a Pastoral procura manter atividades na própria rua e, ao mesmo tempo, possibilitar a multiplicação de agentes. A dedicação de alguns Moradores de Rua, junto ao movimento, resultou em conquistas de projetos importantes, dentre eles, a República Reviver, o Centro de Referência da População de Rua e o Ambulatório Carlos Chagas.

A ação junto aos Catadores de Papel resultou na fundação da Asmare – Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável – em 1990. A partir de 2000, essa experiência foi-se disseminando em outros 21 municípios de Minas Gerais.

PRINCIPAIS AÇÕES E PROJETOS:

A Associação de Catadores de Papel, papelão e material reaproveitável (Asmare) – uma experiência bem sucedida que garante a renda de centenas de famílias de Catadores – estende-se hoje a outros municípios mineiros por meio da ação pastoral. A disseminação dessa metodologia vem propiciando à Pastoral atuar junto aos Catadores de Rua e dos “lixões”. A partir desse trabalho, articula-se em vários municípios, a Rede de Economia Solidária.

Em relação ao trabalho e à geração de renda, criaram-se Oficinas de Encardenação e de Papel Artesanal, hoje integradas à ASMARE, o que ampliou sua capacidade, inspirando a criação de várias outras Oficinas de Reciclagem.

A Comunidade Amigos de Rua – é um espaço de mobilização e organização do Movimento da População de Rua, onde moradores e ex-moradores de rua se encontram para discutir questões do cotidiano. Nesse espaço se dá a integração dos vários grupos de rua: moradores, ex-moradores, ocupantes de casas e prédios, a partir da realização de assembleias. Propicia o fortalecimento da organização, ampliando suas conquistas de moradia e geração de renda.

Buscando qualificar tecnicamente a ação junto aos Catadores de Papel e Moradores de Rua, a Pastoral, em parceria com técnicos comprometidos, criou o Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sócio-Econômico-Ambiental (INSEA). Garante, assim, a sustentabilidade dos projetos e a formação e capacitação dos envolvidos no processo.

O Centro de Apoio ao Povo da Rua (CEAPOR), fundado em 2003, surge como apoio à ação pastoral nas suas diferentes dimensões.

UM PROJETO DE TRANSFORMAÇÃO

A proposta da ação pastoral é desenvolver atividades junto à População de Rua da Capital e dos 27 municípios que integram a Arquidiocese de Belo Horizonte, visando transformar a qualidade de vida das pessoas envolvidas. Reconhecendo a População de Rua como sujeito de sua ação, a equipe desenvolve programas de atendimento, aplicando uma metodologia participativa. O trabalho é direcionado a grupos específicos: Catadores de Papel e Moradores e Ex-Moradores de Rua.A ação desenvolvida pela equipe de Pastoral especialmente junto aos Catadores de Papel objetiva a geração de trabalho e renda.

 

CONTATO:

Rua Além Paraíba, 208 – Lagoinha
31210-120 – Belo Horizonte – MG
Telefone:(31) 3428-8366 – Fax:(31) 3422-7141
Site: www.pastoraldopovodarua.com.br
E-mail: pastoralrua@yahoo.com.br
Horário de atendimento: de segunda a sexta, das 8h às 18h.