Vicariato Episcopal para Ação Social, Política e Ambiental articula e aproxima as iniciativas sociotransformadoras da Igreja

O Vicariato Episcopal para Ação Social, Política e Ambiental é a instância da Arquidiocese de Belo Horizonte (Veaspam) que articula e aproxima as iniciativas sociotransformadoras desenvolvidas pela Igreja, fortalecendo-as. O Veaspam articula ainda importantes trabalhos dedicados aos mais pobres, mantidos pela Providens – Ação Social Arquidiocesana, que congrega: a Casa Santa Zita – lar de mulheres idosas, as três unidades do Projeto Providência – referência para crianças e suas famílias, em vilas e favelas, o Projeto Família Acolhedora – que oferece lar temporário a crianças que, sob algum tipo de ameaça, tiveram que ser afastadas de suas famílias de origem, a Casa do Migrante Nossa Senhora da Boa Viagem – que acolhe refugiados venezuelanos, a Casa de Francisco – espaço que acolhe crianças de comunidades pobres e escolas públicas para atividades educativas relacionadas à preservação ambiental, e a Casa de Apoio à Saúde Nossa Senhora da Conceição – referência no acolhimento a pessoas com a HIV/Aids e moradores de rua, sem vínculos familiares, que necessitam de cuidados médicos.

“O voluntariado e a caridade têm força sociotransformadora.” Padre Júlio Amaral, vigário para Ação Social, Política e Ambiental da Arquidiocese de Belo Horizonte

Compromisso com a ecologia integral

A ação sociotransformadora da Igreja também busca fortalecer sua presença no cuidado com o planeta e na preservação do meio ambiente. Em tempos de pandemia, o setor ambiental da Arquidiocese de Belo Horizonte  foi fortalecido com a criação de três comitês: o Comitê Arquidiocesano para as Águas (Coáguas), o Comitê Arquidiocesano sobre Mineração (CAM) e o Comitê Arquidiocesano sobre Mineração na Serra da Piedade (CAMISP). ”Esses comitês são compostos por especialistas na gestão da água e da mineração. Além disso, os comitês reúnem pessoas comprometidas com a defesa da ‘ecologia integral’, conforme pede Papa Francisco, na urgência do nosso tempo”, diz o padre Júlio Amaral.

Promoção da justiça e do direito

Houve também o fortalecimento do setor sociopolítico do Vicariato, com a criação da Academia de Juristas Católicos Humanistas (AJUCH) e da Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz. Os dois grupos, formados por pessoas reconhecidamente comprometidas com a inclusão social, trabalham em sinergia com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e no horizonte da Doutrina Social da Igreja.

 

 

VEJA TAMBÉM