Você está em:

[Artigo] Sacramento da Eucaristia: Fonte da vida cristã – Neuza Silveira, Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de BH

A Eucaristia era a oração de ação de graças da Igreja primitiva. O Sacramento da Sagrada Eucaristia, juntamente com o Batismo e a Confirmação, faz parte do sacramento de Iniciação Cristã – o misterioso centro de todos esses sacramentos, a fonte e o centro de toda a vida cristã.

Ao fazer a Primeira Eucaristia, ou seja, participar pela primeira vez da comunhão na Celebração Eucarística não significa que já se está iniciado na vida da comunidade. Iniciar-se na vida cristã vai além.

Como já vimos, a Iniciação à Vida Cristã tem seu início com o Batismo. Após uma boa catequese chega-se até  a Eucaristia; e alimentados por ela percorremos o caminho que leva ao sacramento da Crisma. Iniciados na vida do Cristo pelos três sacramentos, continuamos participando da eucaristia, nas celebrações eucarísticas, com nossas comunidades. Mas, ainda, para que ela tenha sentido em nossa vida e se torne fecunda, é preciso que tenhamos o dom da solidariedade, caridade e fraternidade.
A Eucaristia nos convida a um estilo de vida que vai influenciar na nossa maneira de pensar, de relacionar-se com as outras pessoas e com a família. À medida que vamos vivenciando e participando dos sacramentos vamos configurando nossa vida a vida do Cristo; vamos constituindo discípulos e discípulas no seguimento de Jesus Cristo.

O Sacramento da Eucaristia é o sinal da unidade, o banquete pascal em que se recebe Cristo e a alma se enche de graça nos dando o penhor da vida eterna. O ritual é um memorial, já que torna presente e atual o sacrifício que Jesus ofereceu ao Pai na cruz, em favor da humanidade. A Igreja convida os fiéis então para adorarem a Eucaristia. As hóstias são consagradas e também levadas aos enfermos, que não conseguem participar da Santa Missa.

Na Eucaristia partimos um único pão

Na Eucaristia está a presença real de Jesus Cristo, conforme nos ensinaram o próprio Senhor. Em João 6,56-57 Jesus disse: “Aquele que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. E como o Pai, que é vivo, me enviou e eu vivo pelo Pai, assim aquele que comer de mim viverá por mim”.

Segundo o Papa Bento XVI Viver a vida cristã é viver a santidade. Ele diz “Uma vida santa não é primariamente o resultado de nossos esforços, das nossas ações, por é Deus que nos torna santos e a ação do Espírito Santo, que nos anima a partir do nosso inteiro, é a própria vida de Cristo Ressuscitado que se comunicou a nós e nos transforma” e Explica: “A santidade tem sua raiz principal na graça batismal, no ser introduzido no mistério pascal de Cristo, com o qual nos dá seu Espírito, sua vida de Ressuscitado”

Na primeira Eucaristia, alimentando-nos do sacramento da entrega do Cristo que se faz cordeiro para nós, celebrando a Eucaristia no culto da vida, vamos percorrendo o caminho que fortalece nossa identidade Cristã, paulatinamente.

Como podemos nos alimentar de Jesus?

Precisamos parar um pouco para refletir o que Jesus nos quer dizer com isso: Comer da sua carne? Beber do seu sangue? Podemos ficar um tanto admirados e espantados quanto àqueles que ouviam Jesus falar. Os judeus que ouviam Jesus se perguntavam: “Como é que este homem pode dar-nos a sua carne a comer?” (Jo 6,52). Até mesmo os discípulos que conviviam bem próximos de Jesus e compreendiam seus ensinamentos, ao ouvi-lo falar, sabia que Jesus estava se referindo a Ele mesmo quando dizia: Comer da minha carne, beber do meu sangue, e assustados, comentavam entre si: “Essa palavra é dura! Quem pode escutá-lo?” (Jo, 6,60).

Mas Jesus os ajudava a compreender. E através de seus ensinamentos disse: “Eu sou o pão vivo que desce do céu. Quem comer deste pão viverá para a eternidade (Jo 6, 51). Jesus afirma ser o pão que desceu do céu, assim como o alimento que o Senhor Deus enviou para o seu povo, no deserto, a casa de Israel deu o nome de Maná e disse ter sabor de bolo de mel (Ex 15,15.31). Antes, Deus enviou alimento para o povo no deserto caminhar, Agora, Deus o envia para ser alimento para a salvação do mundo, isto é, salvação de todos os homens, em todos os tempos. É a promessa da vida eterna. “O Filho do Homem vem do céu e volta para o céu, e os que nele creem, e dele alimenta, participam dessa vida que está nele.

A Eucaristia é o fermento da ressurreição para os que creem (cf. Jo 6,39.40.44; 5,21-29). Receber o pão e o vinho da Eucaristia significa assumir em nós mesmos a vida dada que Jesus entregou, até morrer por todos nós, em corpo e sangue. Significa ‘comunhão’, ‘comum união’ com esta vida. Significa também comum união com os irmãos.

Neuza Silveira de Souza – Coordenadora

do Secretariado Arquidiocesano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bíblico-Catequético de Belo Horizonte