Você está em:

Artigo] Catequistas itinerantes no processo de evangelização – Neuza Silveira

Assim nos diz o documento de Aparecida, n. 298s: “A catequese não deve ser só ocasional, reduzida a momentos prévios aos sacramentos ou à iniciação cristã, mas sim ‘itinerário catequético permanente’. A catequese não pode se limitar a uma formação meramente doutrinal, mas precisa ser uma verdadeira escola de formação integral”.

Partindo desse princípio catequético, somos convidados a olhar para a realidade comunitária e provocar um itinerário catequético, priorizando os adultos. A evangelização, orientada na direção dos adultos, contribui para que eles assumam, na sociedade e na Igreja, um trabalho diferenciado da prática cristã, formando homens amadurecidos na fé.

Vamos aproveitar esse tempo, as novas realidades que nos provocam a tomadas de decisões, novo jeito de ser Igreja e promover um novo jeito de fazer catequese. Direcionar nossos olhares para os adultos de nossas comunidades. Vamos evangelizar despertando o interesse dos adultos para uma necessidade de melhor conhecer Jesus Cristo, aproximar-se Dele, encontrar-se com Ele. Vamos nos atualizar para acompanhar os passos da realidade atual. Há muito tempo que a Igreja nos pede isso.

O documento “Catequese Renovada” em seu n. 181 nos fala da importância desse homem adulto que é chamado a refletir em si mesmo e na convivência com os irmãos, o mistério divino da comunhão, através de uma atuação que chegasse a transformar o mundo; um homem parceiro de Deus, com quem conversa e passeia; um homem fiel ao plano da criação, vivendo numa perfeita harmonia com o próprio Deus; um homem que faz sua adesão pessoal à pessoa de Jesus Cristo e responde à sua proposta de caminhada.

Como realizar, na prática, uma formação que evangelize o adulto? Como possibilitar a ele partilhar sua experiência de vida, se inserir em uma comunidade, vivenciar o mistério pascal e dar testemunho de vida?

O catequista, ao trabalhar com o adulto, também percorre o caminho que leva ao encontro pessoal com Jesus: o caminho da fé adulta para aceitação da proposta de Jesus. A sua experiência de fé e seu testemunho são elementos essenciais na evangelização. Jesus Cristo é o exemplo, o modelo a seguir. Nele, todos são chamados a participar da própria vida divina pelo Espírito Santo. É uma exigência e uma necessidade que a Palavra do Evangelho se torne palavra encarnada na vida daqueles que abraçam a fé em Jesus Cristo, e o anunciam.

Como podemos conhecer Jesus, ser presença no mundo e anunciá-lo?

Conhecer Jesus é descobrir os seus pensamentos e sentimentos; ouvir as suas propostas; identificar os seus caminhos, escutar, interiormente, o seu chamado.

Quando lemos em Mateus 5,13-14: Vós sois o sal da terra, Vós sois a luz do mundo, Jesus está nos ensinando como devemos ser seu discípulo. Ele está nos dizendo como devemos interagir com o mundo e dar prosseguimento à sua obra. Assim como o sal dá sabor nos alimentos, também os seus discípulos podem levar a comunidade a sentir o sabor de suas Palavras, colocar no seu agir os sentimentos de Cristo; deixar se iluminar pela sua luz e, depois, irradiá-la aos outros irmãos.

Sempre nos deliciamos com uma refeição bem temperada. Também o cristão é sempre esperança de melhora para o mundo. Da mesma forma que o sal tem sentido no meio da refeição, o ser cristão também tem sentido no meio da comunidade. Então, vamos buscar tempos novos propícios para a nossa realidade. Vamos deixar que esta realidade seja iluminada pelo anúncio da Palavra. Que o reflexo da Luz de Cristo se espalhe pelo mundo.

Refletir: Catequista, na sua comunidade acontecem iniciativas de evangelização dos adultos?

Neuza Silveira de Souza. Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Catequese de Belo Horizonte