Você está em:

20 anos da Encíclica Evangelium Vitae: “Eu vim para que todos tenham vida”

“Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em plenitude” (Jo 10,10). Essa passagem bíblica do evangelista João é o eixo central da Encíclica de São João Paulo II sobre o Evangelho da Vida. Se o eixo é a estrutura de onde se sustenta uma máquina, por exemplo, é a Vida a grande mensagem a ser oferecida para os leitores desta bela obra. A Vida humana é a estrutura que sustenta a Sociedade: não é o dinheiro, nem mesmo a tecnologia ou a sabedoria humana. Mas tudo vem da Vida e está a seu serviço.

Nosso Senhor Jesus Cristo, sendo Deus, quis nascer revestido de nossa fragilidade. (Jo 1,2). A afirmação do valor absoluto da vida humana a ser contemplada, compreendida e anunciada parte do Mistério da Encarnação de Cristo no seio de Maria. Por esse acontecimento, precisamos compreender que a vida é sempre um bem. Mesmo quando frágil, pequena, mesmo quando padece de algum mal físico ou mental e ainda mesmo que não tenham sido dadas todas as condições para o seu desabrochar.
 

A responsabilidade pelo outro, o cuidado pelos mais fracos, a proteção de toda vida nascente são manifestações visíveis de nossa crença na vida eterna

A glória de Deus resplandece no rosto do homem, de qualquer ser humano em todos os tempos e lugares. Esta certeza deve ser uma verdade e um valor inestimável. A responsabilidade pelo outro, o cuidado pelos mais fracos, a proteção de toda vida nascente são manifestações visíveis de nossa crença na vida eterna.

O Santo Padre oferece na Evangelium Vitae preciosas observações com grande embasamento bíblico e teológico sobre o valor da vida humana. Procura fundamentar tal defesa e exaltação também nas ciências humanas. Justifica que o ser humano é o centro de todas as preocupações da Igreja e deve ser a maior busca, de todos os tempos, pelas Nações, pelas Leis, e por tudo o que  constitui a Sociedade humana e está em seu entorno.

Em nossa realidade brasileira, somos um dos poucos países ainda a não oferecer como lícita a prática do aborto. Ainda que possamos até nos aliviar desta situação, precisamos perceber que em muitas outras situações podemos melhorar. Como a qualidade da Educação, o acesso ao serviço da saúde e as oportunidades para aqueles que são mais frágeis, como os portadores de necessidades especiais, analfabetos e os marginalizados por outros aspectos diversos. Tudo isso faz com que a Encíclica “O Evangelho da Vida” mantenha-se atual e necessária,  pois são desafios que permanecem para nosso país e tantos outros lugares.

Convido, pois, você caro leitor, cristão ou não, católico ou não a engajar-se conosco neste aniversário. Oportunidade para revisitar essa atual mensagem de defesa da vida e abastecer-se também de argumentos, de ilustrações e de espiritualidade para ess missão que deve ser ininterrupta.

 

Pe. Otávio Juliano de Almeida
Professor da PUC Minas
 Pároco da Paróquia São João XXIII