Santuário Arquidiocesano

Santuário Arquidiocesano Santo Antônio de Roça Grande

08h

10h
18h
08h
- Missa em Honra a Santo Antônio
19h30
- Missa em Honra a Santo Antônio celebrada na Ermida

Comunidade Nossa Senhora do Rosário

Domingo
09h
Você está em:

“A ocupação dos ambientes não pode ser flexibilizada”: orientações de dom Walmor para a celebração do Natal

O crescimento dos casos de contaminação do novo coronavírus inspirou o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, a pedir prudência nas celebrações deste fim de ano. “Usar máscaras, manter o distanciamento social, evitar aglomerações, permanecer em casa, são cuidados muito importantes. A vida é um dom inviolável . Sejamos responsáveis uns pelos outros”, orienta o Arcebispo.

Em mensagem dedicada ao Povo de Deus na Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo reforça: “O contexto atual indica e pede que o Natal e a chegada do Ano Novo sejam celebrados com simplicidade, mais silêncio e contemplação, evitando, definitivamente, manifestações, na família ou em qualquer ambiente, que venham a comprometer o dom precioso da saúde de todos. Essa recomendação é um especial apelo aos nossos jovens, cuidando de si mesmos e preservando os outros entes, todos destinatários especiais de seu amor, muito importantes para suas vidas.”

Às comunidades de fé, o Arcebispo pede: “Em consideração ao momento atual, reduza-se pela metade o número dos que participam das celebrações e outros momentos vividos nos espaços das paróquias, com o cumprimento rígido de todos os protocolos e controles sanitários.”

A seguir, a mensagem completa

“E a luz brilha nas trevas, e as trevas não mais conseguiram dominá-la” (Jo 1,5)

Amados irmãos, amadas irmãs – Povo de Deus na Arquidiocese de Belo Horizonte -, saúde e paz!

A celebração do Natal é a renovação do ápice da delicadeza de Deus para com a humanidade: “E o verbo se fez carne e habitou entre nós “(Jó 1,14), para nos salvar e dar-nos vida plena. Faço votos de que este tempo do Natal seja de fortalecimento de nosso vigor espiritual e humano para darmos conta, à luz do Evangelho de Jesus, das reconstruções, dos novos caminhos e na aprendizagem de um novo estilo de vida, edificando uma sociedade solidária e justa, a caminho do Reino Definitivo.

O momento exige de todos nós uma especial atenção no sentido de redobrar os cuidados considerando os altos índices de contaminação e de óbitos em razão da COVID-19. A pandemia não acabou e nem está menos ameaçadora. Diante dessa realidade, somos chamados a renovar nosso pacto pela vida e pela saúde integral de todas as pessoas.
Estamos em oração pelos enfermos e reafirmamos nossa solidariedade fraterna para com todos que perderam seus entes queridos, impactados pelos números de mortos e infectados, crescentes a cada dia.

Lamentamos o clima de descaso, por parte de pessoas e grupos, inclusive de autoridades governamentais, no enfrentamento desta triste realidade.

Louvamos o empenho de tantas pessoas, instituições, segmentos e estruturas da sociedade que se dedicam à missão de cuidar da vida humana e da Casa Comum.

Aguardamos, com esperança, a vacina que deve ser gratuita e para todos. Afinal, somos todos irmãos.

Deste modo, ao aproximarem-se as celebrações do Natal do Senhor e as festas de final de ano, recomendamos, insistentemente, às famílias o cuidado e atenção necessários para que os encontros fraternos e festivos, caso sejam feitos, sigam, rigorosamente, as normas sanitárias.

Usar máscaras, manter o distanciamento social, evitar aglomerações, permanecer em casa, são cuidados muito importantes. A vida é um dom inviolável . Sejamos responsáveis uns pelos outros.

Às Paróquias da Arquidiocese de Belo Horizonte determinamos que sigam integralmente as orientações estabelecidas no Documento “Evangelização Missionária: um novo tempo”, que está em vigor desde o dia 17 de junho de 2020. Normas e determinações válidas para todos, em obediência ao compromisso com a vida de cada um, dom precioso, razão da oferta da vida do Verbo, Cristo Jesus, que se encarnou e veio morar entre nós para nos salvar.

Cumpra-se, de modo exemplar, no horizonte da tarefa educativa da Igreja servidora no mundo, com zelo especial pelos mais pobres e vulneráveis, a determinação de que a ocupação dos ambientes não pode ser flexibilizada e, em consideração ao momento atual, reduza-se pela metade o número dos que participam das celebrações e outros momentos vividos nos espaços das paróquias, com o cumprimento rígido de todos os protocolos e controles sanitários.

O contexto atual indica e pede que o Natal e a chegada do Ano Novo sejam celebrados com simplicidade, mais silêncio e contemplação, evitando, definitivamente, manifestações, na família ou em qualquer ambiente, que venham a comprometer o dom precioso da saúde de todos. Essa recomendação é um especial apelo aos nossos jovens, cuidando de si mesmos e preservando os outros entes, todos destinatários especiais de seu amor, muito importantes para suas vidas.

Que o Natal do Senhor, vivido e celebrado no silêncio e em orações de modo ainda mais intensos, fecunde e faça crescer em nós uma renovada dedicação na luta pela vida e dignidade de todos, pois Jesus Cristo veio para que todos tenham vida, e a tenham em plenitude (Jo 10,10).

Receba deste primeiro servidor um especial abraço, com apreço grande e amizade.

Feliz Natal e abençoado 2021!

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo Metropolitano
Arquidiocese de Belo Horizonte

VEJA TAMBÉM