Você está em:

31 de janeiro, 2ª feira da 4ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio
- Hoje é dia 31 de janeiro, 2ª feira da 4ª semana do Tempo Comum.

- Jesus sempre está a andar com seus discípulos. Hoje, ele está na região de Gerasa, que fica à margem do mar da Galileia, e viu um homem possuído por um espírito mau que o fazia viver no cemitério. Com medo, algumas pessoas tentaram contê-lo, o amarrando em grilhões, mas não adiantava. Jesus se aproxima, conversa com o espírito mau que diz seu nome “Legião”, revelando assim, o nome que é dado ao exército romano, que avança com truculência, em nome de uma política que marginaliza, extorque e mata. Peça ao Senhor a graça de também perceber tudo o que exclui e marginaliza as pessoas em nossa sociedade.

- Escuta o Evangelho Segundo Marcos, Capítulo 5, versículos 1 a 20:

“Jesus e os seus discípulos chegaram à outra margem do mar, à região dos gerasenos. Logo que Jesus saiu da barca, um homem possuído por um espírito mau saiu de um cemitério e foi ao seu encontro. Esse homem morava no meio dos túmulos e ninguém conseguia amarrá-lo, nem mesmo com correntes. Muitas vezes tinha sido amarrado com grilhões e correntes, mas rebentara as correntes e despedaçara os grilhões. E ninguém era capaz de o dominar. Dia e noite vagueava entre os túmulos e pelos montes, gritando e ferindo-se com pedras. Vendo Jesus de longe, o endemoninhado correu, caiu de joelhos diante d'Ele e gritou bem alto: «Que há entre mim e Ti, Jesus, Filho do Deus altíssimo? Eu Te peço por Deus: não me atormentes!» O homem falou assim, porque Jesus tinha dito: «Espírito mau, sai deste homem!» Então Jesus perguntou: «Qual é o teu nome?» O homem respondeu: «O meu nome é "Legião", porque somos muitos». E pedia com insistência para que Jesus não o expulsasse da região. Havia ali perto uma grande vara de porcos, a pastar na montanha. Os espíritos maus suplicaram: «Manda-nos para os porcos, para que entremos neles». Jesus consentiu. Os espíritos maus saíram do homem e entraram nos porcos. E a vara - mais ou menos uns dois mil porcos - atirou-se pelo monte abaixo para dentro do mar, onde se afogou. Os homens que guardavam os porcos fugiram e espalharam a notícia na cidade e nos campos. As pessoas foram ver o que tinha acontecido. Ao chegarem junto de Jesus, viram o endemoninhado sentado, vestido e no seu perfeito juízo, ele que antes estava possuído pela Legião. E ficaram com medo. Os que tinham presenciado o facto explicaram às pessoas o que tinha acontecido com o endemoninhado e com os porcos. Então começaram a suplicar a Jesus para que Se retirasse do seu território. Enquanto Jesus entrava de novo na barca, o homem que tinha sido endemoninhado pediu-Lhe que o deixasse ficar com Ele. Jesus, porém, não deixou. E, em troca, disse-lhe: «Vai para casa, para junto dos teus, e anuncia-lhes tudo o que o Senhor, na sua misericórdia, fez por ti». Então o homem retirou-se e começou a pregar pela Decápole tudo o que Jesus tinha feito por ele. E todos ficavam admirados."
- Ao ser curado, o homem quis seguir com Jesus quando percebeu que ele entrou na barca. Jesus pediu que ele voltasse para sua família e anunciasse toda a misericórdia de Deus. O homem anunciou as maravilhas que aconteceu na sua vida. As pessoas ficavam admiradas porque conheciam o homem quando se feria com pedras e despedaçava grilhões. No Reino anunciado por Jesus, não há impuros ou “espíritos de morte”, pois todos são chamados à vida plena. E não importa quão “possuído” se esteja, pois basta o coração aberto e a busca sincera para, encontrando Jesus, tornar-se seu discípulo e anunciador das maravilhas que ele faz em nós. Peça ao Senhor essa graça.

- Toma consciência da fé e da confiança em Deus. Você é capaz de reconhecer na sua vida as maravilhas que o Senhor faz?

- “Então o homem retirou-se e começou a pregar pela Decápole tudo o que Jesus tinha feito por ele. E todos ficavam admirados.", nos diz o evangelho de hoje. Somos convidados a anunciar as maravilhas do Senhor em nossa vida, mesmo quando tudo parece sombrio e sem sentido, é necessário buscar a consiga em Deus que nunca abandona os seus. Veja o que diz o poema “Último brinde”, do poeta chileno Nicanor Parra:

Queiramos ou não
Temos apenas três alternativas:
O ontem, o presente e o amanhã.

E nem sequer três
Porque como diz o filósofo
O ontem é ontem
Pertence a nós apenas na memória:
A uma rosa que se desfolhou
Não se pode arrancar outra pétala.

As cartas por jogar
São somente duas:
O presente e o dia de amanhã.

E nem sequer duas
Porque é um fato bem estabelecido
Que o presente não existe
Senão na medida em que se torna passado
E já passou...,como a juventude.

No fim das contas
Só nos resta mesmo o amanhã:
Eu ergo minha taça
A esse dia que não chega nunca
Mas que é único
De que realmente dispomos.

- Termina tua oração pedindo a Deus Pai para que tenha um coração aberto ao mundo inteiro.

- Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém!