Você está em:

29 de junho, 4ª feira da 13ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio
- Hoje é dia 29 de junho, 4ª feira da 13ª semana do Tempo Comum.

-O Tempo Comum nos leva refletir sobre a nossa vida comum do dia a dia, sem grandes novidades ou acontecimentos importantes. No entanto, esses momentos aparentemente sem importância, são também ocupados pela presença da graça de Deus em nossa vida. Mas não raro, nossa atenção é desviada para coisas banais e não percebemos a ação de Deus em nós e nas pessoas à nossa volta. Ficamos como que dominados, presos nas redes sociais, nos programas de TV ou de rádio que nos alienam, nos distanciam de nós mesmos. Parar um pouco, rezar, refletir, meditar, nos ajuda a encontrar a harmonia interior e nos possibilita compreender melhor a presença e a ação de Deus em nossa vida. Comprometa-se com o Senhor a reservar tempo de intimidade com Ele na oração.

- Abra os ouvidos e o coração para acolher o Evangelho de Jesus Cristo Segundo Mateus, Capítulo 8, versículos 28 a 34.

“Quando Jesus chegou à outra margem do lago, à região dos gadarenos, vieram ao seu encontro dois possessos, saindo dos túmulos. Eram tão violentos que ninguém podia passar por aquele caminho. Eles então gritaram: “Que queres de nós, Filho de Deus? Vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?” Ora, acerta distância deles estava pastando uma manada de muitos porcos. Os demônios suplicavam-lhe: “Se nos expulsas, manda-nos à manada de porcos”. Ele disse: “Ide”. Os demônios saíram, e foram para os porcos. E todos os porcos se precipitaram, pelo despenhadeiro, para dentro do mar, morrendo nas águas. Os que cuidavam dos porcos fugiram e foram à cidade contar tudo, também o que houve com os possessos. A cidade inteira saiu ao encontro de Jesus. E logo que o viram, pediram-lhe que fosse embora da região.”

-Toda forma de dominação é uma violência. A expulsão dos demônios é sinal de que Jesus veio para libertar de tudo o que nos impede de agir com liberdade e de tudo o que oprime o ser humano. Mesmo assim Jesus permanece sem ser devidamente compreendido. Depois de expulsar os demônios e devolver a consciência aos que estavam possessos, o povo da cidade pediu que Jesus fosse embora. Também em nossos dias a prática libertadora de Jesus é negada e a sua proposta do Reino não é acolhida. Os que abraçam o caminho do Reino são chamados de subversivos, até de “comunistas”, simplesmente por buscar mais vida em abundância para todos. Reze para que o Senhor continue a nos abençoar com sua presença libertadora no meio de nós.

- Jesus não tem medo de ir às “outras” margens, aos lugares de onde a maioria se afasta. E você? Procura a segurança do conhecido ou procura de fato quem mais precisa?
Você também se afasta de Jesus porque se sinto incomodado com a Sua proposta?

- “Que queres de nós, Filho de Deus?”, dizem os possessos do evangelho. Para nos ajudar a refletir, acompanhe essa breve reflexão de Edward Guimarães:

“Tu nos ofereces a tua experiência vivida em nossa história,
oh Mestre do Caminho da Salvação,
como um caminho árduo que exige fé, partilha e profecia,
como um caminho de conversão diária ao amar e servir,
mas um caminho que não trilhamos sozinhos e no escuro,
temos conosco, por companhia, a luz e a força da Ruah divina!

Que saibamos dizer não ao cristianismo morno e insosso,
que avaliza o levarmos uma vida medíocre e apequenada,
sem conversão diária ao Reino que é vivido em comunidade:
Somos todos e todas chamados a nos converter em prismas
que irradiam luz divina para o bem de toda a humanidade,
o brilho que jorra da práxis da justiça e da fratersororidade!”

- Termine sua oração colocando-se diante de Jesus, que vem ao nosso encontro para nos libertar de tudo o que oprime e nos tira a liberdade. Ele nos quer livres para amá-lo e servi-lo na pessoas de nossos irmãos e irmãs.

-Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém!