Você está em:

27 de janeiro, 5ª feira da 3ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio
-Hoje é dia 27 de janeiro, 5ª feira da 3ª semana do Tempo Comum.

-Jesus nos fala através parábolas e com palavras simples nos coloca na dinâmica do “novo Reino, o Reino de Deus”. O evangelho é como uma lâmpada que só será útil se colocada no alto para iluminar a todos. O Evangelho nos impulsiona de dentro pra fora, vai iluminando nosso coração com uma luz que irradia também no nosso exterior e que se concretiza em atitudes diárias. Deixe que a Luz do Evangelho penetre todas as áreas de sua vida iluminando e abrindo um caminho de diálogo entre você e Deus.

- Escuta o Evangelho Segundo São Marcos, Capitulo 4, versículos de 21 a 25:

“Dizia-lhes ainda: ‘Será que a lâmpada vem para ficar debaixo da caixa ou da cama? Não é para ser posta sobre o cadeeiro? De fato, nada há de encoberto que não venha a manifestar-se, e nada que tenha sido escondido que não venha à luz. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!’ E dizia lhes ainda: ‘Considerai bem o que ouvis! Com a medida com que medis, também sereis medidos, e com acréscimo! A quem tem será dado; e a quem não tem, será tirado até o que tem.”

- Comparando a uma lâmpada acesa que só possui serventia se for colocada em um candeeiro para iluminar, Jesus nos ensina que assim também é a Boa Nova do Reino que ao ser semeada e germinar deve ser proclamada e tornar-se conhecida. O Evangelho é a luz que brilha nas trevas do mundo, todo aquele que o conhece torna-se portador desta luz e deve levá-la sem temor. Peça ao Senhor que te inspire a ser como Ele, que de maneira simples sabia iluminar com sua palavra a vida das pessoas.

- O Evangelho de Jesus é luz que te ilumina? Como você tem anunciado a Boa Nova de Jesus? Você tem sido uma luz sobre o candeeiro ou uma luz escondida debaixo da cama? Em que medida você tem se deixado verdadeiramente iluminar pelo Evangelho e ser luz para o mundo?

- “Considerai bem o que ouvis”, diz o evangelho de hoje. Que a Palavra do Evangelho penetre em nossa vida e ilumine toda escuridão. Veja o que diz o poeta Affonso Romano de Sant’Anna, neste poema:

Preciso do teu silêncio
cúmplice sobre minhas falhas.
Não fale.
Um sopro, a menor vogal pode me desamparar.
E se eu abrir a boca minha alma vai rachar.
O silêncio, aprendo, pode construir.
É um modo denso/tenso - de coexistir.
Calar, às vezes, é fina forma de amar.

- Peça ao Senhor a graça do silêncio e que a sua Palavra ressoe em seu ser hoje e sempre. Peça também que Ele te ajude a se deixar verdadeiramente iluminar pelo Evangelho e ser luz para o mundo.

-Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo. Assim como era no princípio agora e sempre. Amém.