Você está em:

25 de novembro, 5ª feira da 34ª Semana do Tempo Comum

Baixar áudio
- Hoje é dia 25 de novembro, 5ª feira da 34ª Semana do Tempo Comum

- “A vossa libertação se aproxima”. Com essa frase, Jesus no evangelho de hoje, encoraja a comunidade a permanecer perseverante no anúncio do Evangelho, mesmo diante da opressão e a reavivar a esperança na presença de Deus. Peça ao Senhor, nesse momento, a graça de manter-se firme, de perseverar no seguimento de Jesus e de progredir na vida cristã, mesmo diante das dificuldades, das crises, de cenários sombrios.

- Escute o Evangelho segundo Lucas, Capítulo 21, versículos de 20 a 28:

Naquele tempo disse Jesus a seus discípulos: “Quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, ficai sabendo que a sua destruição está próxima. Então, os que estiverem na Judeia, devem fugir para as montanhas; os que estiverem no meio da cidade, devem afastar-se; os que estiverem no campo, não entrem na cidade. Pois esses dias são de vingança, para que se cumpra tudo o que dizem as Escrituras.
Infelizes das mulheres grávidas e daquelas que estiverem amamentando naqueles dias, pois haverá uma grande calamidade na terra e ira contra este povo. Serão mortos pela espada e levados presos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos infiéis, até que o tempo dos pagãos se complete. Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória. Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima”.

- As comunidades destinatárias desse evangelho viviam num contexto difícil. O evangelista Lucas afirma que após os abalos cósmicos contra as nações, que se opõem ao projeto de Deus, é prometida a salvação para aqueles que permanecerem fiéis. Sua intenção é ajudar as comunidades a avaliar os conflitos que estão vivendo, a animá-las para não desistirem do projeto de Deus, continuarem testemunhando e esperando a libertação. Portanto, esse relato tem a finalidade de sustentar a esperança cristã, de alimentar a fé na presença do “Filho do homem” e reforçar a soberania de Deus como criador, redentor e Senhor da história. Apesar dos acontecimentos serem descritos de forma terrível, para os cristãos são sinais de esperança e da garantia da salvação. De fato, o “Filho do homem” virá para assegurar a vitória da vida sobre a morte e possibilitar a humanidade o reconhecimento da soberania de Deus. Agradeça a Deus por sua presença em todos os momentos de sua vida. Converse com Ele, apresentando também as suas dificuldades, seu sofrimento, sua dor, confiando que Ele será também o seu redentor, o libertador.

- Jesus trouxe uma mensagem de Vida e de Esperança. Não foi ouvido no Seu tempo como também não é ouvido agora. E você vive essa mensagem, acredita nela, é propagador desta verdade?

- “...levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima”, diz o evangelho. Tome consciência da manifestação de Deus em cada momento de sua vida. Perceba sua presença amorosa, que nesse dia vem para reavivar sua esperança, para te encorajar e permanecer firme em seu seguimento, carregando sempre em seu coração a certeza de que, independente de sua realidade, a libertação se aproxima. Veja o que diz o Salmo 92 e perceba como o salmista coloca todo seu ser nas mãos de Deus:

É bom celebrar ao Senhor e tocar ao teu nome ó Altíssimo;
anunciar pela manhã teu amor e tua fidelidade pelas noites;
com a lira de dez cordas e a cítara e as vibrações da harpa.
Pois tu me alegras com teus atos, ó Senhor,
eu exulto com as obras de tuas mãos:
Quão grande são tuas obras, ó Senhor,
e quão profundos teus projetos!

- Termine sua oração dando graças a Deus por sua fidelidade, por seu amor. Renove a sua esperança, depositando nas mãos de Deus a sua vida, a vida das pessoas que estão sofrendo, vivem aflitas, ou em momentos de tribulação. Peça a Deus, em seu coração, que nos dê a sensibilidade para com o sofrimento de nosso irmão e irmã e que possamos ser testemunhas da esperança.

- Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era o princípio, agora e sempre. Amém!