Você está em:

25 de agosto, 5ª feira, 21ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio

- Hoje é dia 25 de agosto, 5ª feira da 21ª semana do Tempo Comum.

-O que faríamos se ninguém pudesse nos ver? Essa é uma pergunta que pode vir a nossa mente em tantos momentos de nossa vida. O evangelista Mateus nos dá uma direção para a resposta: faríamos o mesmo que quando podem nos ver. Peça ao Senhor que te ajude a estar preparado para que Ele entre na sua vida e não encontre bloqueios e armaduras.

- Escuta o Evangelho segundo Mateus, capítulo 24, versículos de 42 a 51.

Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: "Ficai atentos! Porque não sabeis em que dia virá o Senhor. Compreendei bem isso: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá. Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? Feliz o empregado, cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar. Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. Mas, se o empregado mau pensar: 'Meu senhor está demorando', e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes".

-Quando algo demora a acontecer, nossa atitude diante da espera revela a nós nosso próprio interior. É necessário tomarmos consciência sobre o que ocorre dentro de nós, pois a fé cristã precisa ser vivida de dentro para fora. Se ela se tornar mais um penduricalho, perde totalmente seu sentido e sua força. E, para evitar essa possibilidade, Mateus nos convida a vigiar, a deixar que a Palavra entre em nós e, de dentro para fora, gere vida! Permita que a Palavra de Deus possa alcançar o seu íntimo, deixando que alegre seus passos e te dê forças para caminhar.

- Como tenho vivido a fé: como força para levar a vida adiante ou como um mero objeto que uso por uma hora e meia aos domingos? Minha fé se tornou mais um objeto que ornamenta meu externo?

- “Então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera”, diz o evangelho de hoje. A vigília precisa ser levada a sério, mas não deve ser pesada. Não devemos cair num modelo de perfeccionismo que elimine a possibilidade de errar. Vigiar significa viver de dentro para fora tudo que a Palavra nos mostra, toda a vida que diariamente bate à nossa porta. Que vivamos uma vigília como no poema Descompassos, de Alvina Nunes Tzovenos:

“[...]
Deixa que o vento brinque com teus pés
a chuva te beije até se cansar
as flores e os verdes e os caracóis
enfeitem teus cabelos de verões.
Corre atrás da vida com ternura de criança
e canções plenas de paz
e com risos de palhaços
[...]”

- Peça ao Senhor que sua Palavra possa adentrar o centro da sua vida e desde lá fazer brotar o seu verdadeiro ser. Coloque nas mãos do Senhor toda sua espera, suas dores, suas esperanças.

- Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém!