Você está em:

23 de outubro, 30º Domingo do Tempo Comum | Dia mundial das missões

Baixar áudio
-Hoje é dia 23 de outubro, 30º Domingo do Tempo Comum – Dia mundial das missões.

- O Evangelho de hoje nos mostra a importância de rezar com confiança e humildade. Jesus através da parábola do fariseu e do publicano nos fala da atitude verdadeira que se deve ter ao rezar, sobretudo, à maneira que devemos nos colocar diante de Deus, que nos conhece mais do que nós mesmos. Pois o que devemos rezar é a vida que circula em nós e ao nosso redor, isto é, o que está em nosso coração. A oração dirigida ao Senhor deve ser feita com humildade e confiança, assim como a oração do publicano que demonstrou um coração humilde e desejo de receber a misericórdia de Deus. Peça ao Senhor que te conceda o dom da humildade e a sinceridade de coração para se dirigir a Deus e as pessoas.

- Prepare o seu coração para escutar e acolher o Evangelho de Jesus Cristo Segundo Lucas, Capítulo 18, versículos 9 a 14.

Para alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezava os outros, Jesus contou esta parábola: Dois homens subiram ao templo para orar. Um era fariseu; o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: ‘ Deus, eu te agradeço, porque não sou como os outros, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como esse publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de toda a minha renda.’ O publicano , porém, ficou a distância e nem se atrevia a levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: ‘ Meu Deus, sê propício para mim, que sou pecador!’ Eu vos digo: este último voltou para casa justificado, mas o outro não. “Com efeito, todo o que se exaltar será humilhado, e o que se humilhar será exaltado.”

- O fariseu nomeia todas as suas observâncias, tudo que ele faz conforme manda a lei; confia absolutamente no poder da sua prática religiosa para garantir a salvação. Assim dispensa a graça de Deus, ele acha que a lei cumprida por ele é capaz de salvá-lo e ainda se compara com o publicano. Este também não mente quando reza. Longe do altar, nem se atrevia a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito em sinal de arrependimento e dizia: Meu Deus tem piedade de mim que sou pecador! E de fato era mesmo, ele tem consciência disso, e não só, mas do fato de que por ele mesmo é incapaz de mudar a sua situação. A única esperança dele foi jogar-se diante da misericórdia de Deus, por isso voltou para casa justificado. Peça ao Senhor que ensine a rezar com humildade e confiança.

-Como você costuma se colocar diante de Deus na oração, com a atitude de quem cumpre todos os seus deveres ou reconhecendo-se pecador? Você se sente agente de sua própria salvação ou conta sempre com a graça de Deus? Você se sente menos pecador do que seu irmão e sua irmã?

- A humildade sempre vem acompanhada do abandono e da confiança.
Diz Jesus: “Com efeito, todo o que se exaltar será humilhado, e o que se humilhar será exaltado.” Diz assim oração de abandono do padre Charles de Foucauld:
Meu Pai,
Eu me abandono a Ti.
Faz de mim
O que te agradar.
Não importa o que faças de mim,
Eu te agradeço.
Estou pronto a tudo,
Eu aceito tudo.
Tomara que tua vontade
Se faça em mim,
Em todas tuas criaturas,
Eu não desejo nada mais,
Meu Deus.
Eu coloco minha alma
Entre tuas mãos.
Eu a te dou, meu Deus,
Com todo o amor
Do meu coração,
Porque eu te amo,
E que é minha necessidade,
De me colocar em tuas mãos
Sem medida,
Com infinita confiança,
Pois Tu és meu Pai.

- Termina tua oração apresentando ao Senhor tudo o que trazes no teu coração com toda a sinceridade e agradeça as graças que são derramadas em tua vida pela gratuidade e bondade de Deus que vai além de nossa pequenez e fragilidade. Peça ao Senhor que ajude sua Igreja a ser cada vez mais missionária.

- Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Amém