Você está em:

1º de maio, 3º Domingo da Páscoa

Baixar áudio
- Hoje é dia 1º de maio, 3º domingo da Páscoa.

-Estamos vivendo o tempo pascal, tempo propício para nos encontrarmos com a pessoa do Ressuscitado e com ele fortalecer a nossa fé, nossa esperança e o nosso amor. No Evangelho de hoje Jesus aparece aos discípulos enquanto eles estão pescando, e os aguarda no retorno da pesca com um gesto de carinho. São vários os sentimentos que este encontro desperta nos discípulos: medo, espanto, alegria, amizade e o amor. É sempre a presença de Jesus Ressuscitado que nos impulsiona para a missão, e nos coloca em comunhão com a comunidade de fé. Agradeça ao Senhor pela presença dele em sua vida trazendo confiança e força para a sua missão.

-Escuta o Evangelho Segundo João, Capítulo 21, versículos 1a 21

-Depois disso, Jesus tornou-se a manifestar-se aos discípulos, junto ao mar de Tiberíades. Manifestou-se deste modo: Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Gêmeo, Natanael, de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu e outros dois discípulos dele. Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles responderam: “Nós vamos contigo”. Saíram, então, e subiram ao barco, mas não pescaram nada naquela noite. Pela manhã, Jesus estava na praia, mas os discípulos não sabiam que era Jesus. Este perguntou-lhes: “Filhinhos, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”. Ele lhes disse: “Lançai a rede à direita do barco e achareis”. Eles lançaram a rede e já não conseguiam puxá-la por causa da quantidade de peixes. Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu sua túnica, pois estava despido e lançou-se à água. Os outros discípulos vieram com o barco, arrastando a rede com os peixes. De fato, não estavam longe da terra, mas somente uns duzentos côvados`. Quando saltaram à terra, viram um braseiro preparado com peixe em cima e pão. Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que agora apanhastes”. Então, Simão Pedro subiu e arrastou a rede para terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e apesar de serem tantos, a rede não se rompeu. Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor. Jesus veio, tomou o pão e lhes deu, e fez a mesma coisa com o peixe. Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos. Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Jesus lhe disse: “Apascenta meus cordeiros”. E disse-lhe, pela segunda vez: “Simão, filho de João, tu me amas?”. Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Jesus lhe disse: “Pastoreia minhas ovelhas”. Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque lhe perguntou pela terceira vez: “Tu me amas?” E respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta minhas ovelhas. Em verdade, em verdade, te digo: quando eras jovem, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás os braços, e outro te cingirá e te levará para onde não queres”. Disse isso para dar a entender com que morte Pedro glorificaria a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.

-Este evangelho narra reencontro celebrativo de Jesus com seus discípulos, marcado pela ternura e pelo carinho. Os discípulos passaram a noite toda pescando e não apanharam nada. Isto significa que o começo do anúncio da Boa Nova, logo depois da morte e ressurreição de Jesus, não foi fácil. Muito trabalho e pouco resultado. Mas eles continuam tentando, não desanimam, têm perseverança. Jesus chamou Simão Pedro e perguntou por três vezes se ele o amava. Depois de ter recebido, por três vezes a resposta afirmativa que o amava, Jesus confere a Pedro a missão de apascentar suas ovelhas. Sabemos que é um amor imperfeito, que vai necessitar da graça de Deus, mas é o que Pedro tem para oferecer a Jesus. É esse mesmo amor que temos para oferecer a Jesus e ele acolhe. Peça ao Senhor a graça de assumir com amor o que ele lhe pede por amor.

-É na vida real, no dia a dia que encontramos com Cristo Ressuscitado. Você consegue perceber a presença do Ressuscitado no cotidiano de sua vida? Qual a qualidade da sua relação com a pessoa de Jesus? Você o ama? O que você faz por amor a Jesus?

- “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo” diz Pedro a Jesus. Não basta dizer que amamos ao Senhor, mas se faz necessário assumir a missão que ele nos confia por amor e no amor. Veja o que diz alguns trechos do poema É POR AMOR, do cantor e poeta Zé Vicente:

É por amor!
Sim, é por amor à vida que cantamos
e tantas vezes choramos também.

É por amor!
Sim, é por amor à vida, evidentemente,
que encaramos de frente essa imensa dor
que se nos impõe nesse reinado amargo do ódio presente!

É por amor!
Sim, é por amor à vida que profundamente doloridos
recolhemos em nossos braços
os que foram brutalmente feridos
e quando já não podemos devolver-lhes a respiração
nós comungamos de seu sangue e os fazemos ressuscitar
em milhares de vidas e sorrisos!

É por amor que nos abraçamos
Que nos beijamos na esquina e já não tememos
Andar de braços dados seguindo a bandeira da paz
E da ternura consequente!
É por amor!
Sim, é por amor à vida
Que desesperadamente amamos!

- Termina sua oração celebrando a alegria do encontro com o Ressuscitado que acontece na sua família, na sua missão, encontro que tem o amor e a acolhida em primeiro lugar.

- Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém.