Você está em:

18 de Novembro, 6ª feira, 33ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio
-Hoje é 18 de novembro, sexta-feira, da 33ª semana do tempo comum.

-Hoje somos convidados por Jesus a expulsar dos templos de nossos corações tudo aquilo que nos divide e sabota nossa fé. Somos templos do Espírito Santo e formando o corpo de Cristo, a Igreja, somos chamados a zelar pela nossa fé e vida espiritual, a fim de não cairmos na tentação da idolatria, que é retirar Deus do lugar central de nossas vidas. Confiemos no Senhor, que nos criou para amá-lo e servi-lo, construindo juntos o seu reinado de amor e de paz. Comece a sua oração renovando essa confiança no Senhor.

-Escuta o Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas, capítulo 19, versículos 45 a 48

Naquele tempo, Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os vendedores. E disse: "Está escrito: 'Minha casa será casa de oração'. No entanto, vós fizestes dela um antro de ladrões". Jesus ensinava todos os dias no Templo. Os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os notáveis do povo procuravam modo de matá-lo. Mas não sabiam o que fazer, porque o povo todo ficava fascinado quando ouvia Jesus falar.

-Jesus nos convida a fidelidade, a colocarmos nossa fé em ação. Não podemos desviar do caminho proposto por Deus. Hoje, ao entrar no templo e purificá-lo, Jesus quer que o Templo desempenhe sua função fundamental: unir as pessoas a Deus. Mas o Templo se tornou uma casa de comércio. Suplique ao Senhor a fim de que nossa Igreja e nós, membros do Corpo de Cristo, sejamos fiéis a Deus e não nos permitamos ser corrompidos por qualquer idolatria.

- Reflita: eu e minha casa servimos ao Senhor ou estamos servindo ao ódio e ao desamor? Nossa comunidade de fé cumpre sua tarefa de unir as pessoas a Deus, ou estamos vivendo em comunidades divididas pelas contínuas discórdias? Deixo-me fascinar pela palavra de Deus ou estou ouvindo outras palavras, que roubam minha paz e o amor de meu coração?

- “Está escrito: 'Minha casa será casa de oração”. Nossa oração, individual e comunitária, deve servir ao mundo, a fim de suscitar novas relações com Deus, com o próximo e conosco mesmo. Nossa família e nossa comunidade de fé é chamada a se converter sempre mais em espaço para oração e para o serviço aos necessitados. Santo Inácio de Loyola assim rezava:

Tomai, Senhor, e recebei
Toda a minha liberdade, a minha memória também.
O meu entendimento e toda a minha vontade
Tudo o que tenho e possuo, vós me destes com amor.
Todos os dons que me destes, com gratidão vos devolvo
Disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade.
Dai-me somente, o vosso amor, vossa graça
Isto me basta, nada mais quero pedir.

- Conclua a sua oração rezando para que nossos corações se convertam em morada simples e acolhedora ao Senhor.

- Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.