Você está em:

15 de abril, 6ª feira da Paixão do Senhor

Baixar áudio
- Hoje é dia 15 de abril, 6ª feira Paixão do Senhor.

-Celebramos hoje a Paixão e Morte de Jesus Cristo. Um dia de jejum e abstinência, um dia de silêncio e de oração. A Igreja nos convida a olhar e a contemplar o crucificado, o Cristo que morre na Cruz. É um convite a acolher o amor que se doa até as últimas consequências. Jesus nos amou até o fim, doando-se totalmente. Peça ao Senhor a graça de amar assim como Ele nos amou, de viver este dia em profunda sintonia com a Paixão e Morte de Cristo.

- Escuta um trecho da narrativa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo Segundo João, Capítulo 19, versículos de 1 a 42

“...Então Pilatos mandou flagelar Jesus. Os soldados teceram uma coroa de espinhos
e colocaram-na na cabeça de Jesus. Vestiram-no com um manto vermelho,
aproximavam-se dele e diziam: 'Viva o rei dos judeus!'
E davam-lhe bofetadas. Pilatos saiu de novo e disse aos judeus: 'Olhai, eu o trago aqui fora, diante de vós, para que saibais que não encontro nele crime algum. 'Então Jesus veio para fora, trazendo a coroa de espinhos e o manto vermelho. Pilatos disse-lhes: 'Eis o homem!'
Quando viram Jesus, os sumos sacerdotes e os guardas começaram a gritar:
'Crucifica-o! Crucifica-o!' Pilatos respondeu: 'Levai-o vós mesmos para o crucificar, pois eu não encontro nele crime algum.' Ao ouvir estas palavras, Pilatos ficou com mais medo ainda. Entrou outra vez no palácio e perguntou a Jesus: 'De onde és tu?'
Jesus ficou calado. Então Pilatos disse: 'Não me respondes? Não sabes que tenho autoridade para te soltar e autoridade para te crucificar?'
Jesus respondeu: 'Tu não terias autoridade alguma sobre mim, se ela não te fosse dada do alto.
Então Pilatos entregou Jesus para ser crucificado, e eles o levaram.
Jesus tomou a cruz sobre si e saiu para o lugar chamado 'Calvário', em hebraico 'Gólgota'. Ali o crucificaram, com outros dois: um de cada lado, e Jesus no meio.
Pilatos mandou ainda escrever um letreiro e colocá-lo na cruz; nele estava escrito:
'Jesus o Nazareno, o Rei dos Judeus'.
Muitos judeus puderam ver o letreiro, porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. O letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego.
Depois que crucificaram Jesus, os soldados repartiram a sua roupa em quatro partes, uma parte para cada soldado.
Perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: 'Mulher, este é o teu filho'. Depois disse ao discípulo: 'Esta é a tua mãe'.
Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.
Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: 'Tenho sede'. Havia ali uma jarra cheia de vinagre.
Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus.
Ele tomou o vinagre e disse: 'Tudo está consumado'. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.”

- O evangelista João mostra que Jesus enfrenta e acolhe a morte. Jesus foi fiel até o fim à missão que o Pai lhe confiou, missão que o levou a ser morto. Deveria “cumprir” a fundo o que as escrituras dizem a respeito dele, desceu até o profundo da vida humana, até o último confim que é a morte; tomou-a inteiramente sobre si, pois na sua confiança plena no Pai, sabe que o amor é mais forte que a morte. Peça o Senhor a graça de segui-lo até o fim com fidelidade ao seu projeto.

- Os acusadores de Jesus querem eliminá-lo por se sentirem ameaçados por ele e exigem sua condenação. Pilatos procura salvar a própria pele. Os discípulos, assustados e temerosos não têm condições de reagirem; Maria e as mulheres presentes se solidarizam com a dor de Jesus. Qual o lugar que você se encontra na Paixão de Cristo? Como olhas os crucificados de hoje?

- Jesus disse: “'Tudo está consumado'. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito”. Cristo, na cruz, nos amou sem limite, sem recuo, sem se poupar em nada, até o extremo. Foi entregue à morte sem ter feito mal algum, mas nada limitou o seu amor por nós. Ouçamos uma estrofe do canto do Pe. Zezinho: Um Certo Galileu:

Um certo dia, ao tribunal
Alguém levou o jovem Galileu
Ninguém sabia qual foi o mal
E o crime que ele fez; quais foram seus pecados
Seu jeito honesto de denunciar
Mexeu na posição de alguns privilegiados
E mataram a Jesus de Nazaré
E no meio de ladrões puseram sua cruz
Mas o mundo ainda tem medo de Jesus
Que tinha tanto amor

- Termina tua oração agradecendo ao Senhor o ato de seu amor extremo por você e por toda a humanidade. Somente Aquele que nos amou com infinita misericórdia pode nos ensinar que o caminho da cruz nos santifica e nos redime no amor.

- Deus Santo, Deus forte, Deus imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro!