Você está em:

14 de Novembro, 2ª feira, 33ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio
-Hoje é dia 14 de Novembro, segunda feira da 33ª semana do Tempo Comum.

-Um cego marginalizado que clama por Libertação; que ficava à beira do caminho pedindo esmolas. Cego são todos os que assimilaram uma ideologia, uma maneira de pensar e que não conseguem enxergar por outro viés além dela, não conseguem ver além daquilo que a ideologia impõe. Ainda hoje há cegos como este do Evangelho. Outro dado importante é o fato de ele estar à beira do caminho. É uma forma literal de descrever a marginalidade, na qual esse homem se encontrava. Quem está cego por uma ideologia, fica à margem. Peça ao Senhor que te livre da cegueira que te aliena e marginaliza.

-Escuta o Evangelho segundo Lucas, capítulo 18, versículos 35 a 43:

Quando Jesus se aproximou de Jericó, um cego estava sentado junto ao caminho, mendigando. Ouvindo a multidão passar, perguntou o que estava acontecendo. Disseram-lhe: “É Jesus, o nazareno, que está passando”. O cego, então, gritou: “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!” As pessoas que iam à frente, mandavam que ficasse calado. Ele, porém, gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!” Jesus parou e mandou que lhe trouxessem o cego. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou: “Que queres que eu te faça?” O cego respondeu: “Senhor, que eu veja”. Jesus disse: “Vê! A tua fé te salvou”. No mesmo instante, ele começou a ver e foi seguindo Jesus, glorificando a Deus. E todo o povo se pôs a louvar a Deus.

-O cego à beira do caminho pedia esmolas, totalmente dependente, vivia das migalhas que outros lhe davam, um miserável. Esse homem representa uma situação cruel de opressão e marginalização, causadas por sistemas injustos e opressores. Esse homem representa uma categoria de excluídos. Apesar da marginalização, esse homem, isto é, esta categoria trazia dentro de si o desejo de libertação. Embora fosse cego, conseguiu enxergar em Jesus a Esperança. Reconheceu-o como o Filho de Davi, aquele que seria capaz de se compadecer dele e devolver-lhe a dignidade, a liberdade. Converse com Deus sobre a cegueira que afeta tantos irmãos que não enxergam os que vivem à margem de nossa sociedade injusta, desigual e excludente.

-Qual sua atitude diante da cegueira dos que não enxergam outra maneira de ver a vida e o mundo, senão a de uma religião, um partido, um ídolo, um influencer? E diante da cegueira que oprime e marginaliza a tantos irmãos? O que você pode fazer para ajudar na superação da cegueira que marginaliza, excluindo a tantos de sua dignidade de Filhos de Deus?

-Diz o evangelho “O cego, então, gritou: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”. O cego queria ver Jesus, porque enxergou nele o Caminho, a Verdade e a Vida. Quando há esse desejo em seu coração, Jesus se aproxima de você ou abre caminho para que você se aproxime dele. Diz um trecho da canção Cura-me, de autor desconhecido:

Senhor, ferido estou diante de Ti
E de joelhos vou pedir
Cura-me, Cura-me

Vem ser a voz que me aconselha
Vem ser o ar que eu respiro
Pois tu és o pão que me sustenta
Tu és o Deus que me alimenta

Cura-me Senhor, cura-me Senhor
Enxuga as minhas lágrimas de dor
Cura-me Senhor, cura-me Senhor
E me devolve a vida com o teu amor

-Termina sua oração pedindo ao Senhor, como o cego, que você veja, vencendo toda cegueira que marginaliza, que exclui, que causa divisão.

-Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém!