Você está em:

13 de setembro, 3ª feira, Memória de São João Crisóstomo

Baixar áudio
- Hoje é dia 13 de setembro, Memória de São João Crisóstomo, bispo e doutor da Igreja

– Hoje celebramos o dom da presença do Senhor em nossas vidas. Sua palavra é um convite à transformação interior para participarmos da vida nova em Deus. Peça ao Senhor a graça de permanecer na presença dele, de confiar em seu amor e sempre buscar transbordar a bondade dele em tuas ações.

- Escuta o Evangelho segundo Lucas, capítulo 7, versículos 11 a 17:

Naquele tempo, Jesus dirigiu-se a uma cidade chamada Naim. Com ele iam seus discípulos e uma grande multidão. Quando chegou à porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único; e sua mãe era viúva. Grande multidão da cidade a acompanhava. Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela e lhe disse: “Não chores!” Aproximou-se, tocou o caixão, e os que o carregavam pararam. Então, Jesus disse: “Jovem, eu te ordeno, levanta-te!” O que estava morto sentou-se e começou a falar. E Jesus o entregou à sua mãe. Todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus, dizendo: “Um grande profeta apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo”. E a notícia do fato espalhou-se pela Judéia inteira, e por toda a redondeza.

-Nossa vida é uma caminhada onde somos chamados a escolher a procissão que queremos seguir: a da vida ou a da morte. Em nossas tristezas e angústias, Deus chega inesperadamente e nos surpreende com sua alegria. Converse com Deus sobre o caminho que escolhes a cada dia para seguir, para que percebas em teus passos o Senhor que vem ao teu encontro, de modo especial quando carregas trevas e escuridões e és tocado pela morte.

- És capaz de acolher a presença de Deus que visita o seu povo? Como está o teu discipulado? Tens como referência o Mestre da esperança? Em tuas fragilidades, consegues enxergar a companhia de Deus que te ampara e socorre?

- “Um grande profeta apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo.” Jesus é o vencedor da morte. Sua presença entre nós é a visita de Deus em nossa humanidade ferida e sofrida. Quando perdemos tudo, quando não temos mais nada em que se apoiar para sustentar nossa vida, Ele se aproxima e nos lembra do seu grande amor e o quanto é necessário prosseguir, sem parar, para alcançarmos, com ele, a vitória contra todo mal. São João Crisóstomo, numa homilia disse assim:


Sobrevêm muitas ondas e fortes tempestades, mas não tememos afogar, pois estamos firmados sobre a pedra. Enfureça-se o mar, não tem forças para destruir a pedra. Ergam-se as vagas, não podem submergir o navio de Cristo. Pergunto eu: que temeremos? A morte? Para mim, viver é Cristo, e morrer é lucro. O exílio talvez, dizes-me? Do Senhor é a terra e tudo quanto nela contém. A confiscação dos bens? Nada trouxemos para o mundo e, é certo, nada daqui poderemos levar; os pavores deste mundo são desprezíveis, e seus bens, merecedores de riso. Não tenho medo da pobreza, não ambiciono riquezas; não temo a morte, nem prefiro viver a não ser para vosso proveito. Por isto recordo os acontecimentos atuais e rogo à vossa caridade que tenhais confiança.

- Nossa missão, como a de Jesus, é de fazer a esperança voltar aos corações angustiados. Somos mediadores da misericórdia de Deus. Temos um pouco da grandeza do profeta que percebe a realidade e a assume como oportunidade de transformar, na alegria e na força da fé, toda situação de morte em vida em abundância. Termina tua oração confiando a tua vida inteiramente a Deus e nem a morte será capaz de apagar a luz que há em ti.

- Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo;
como era no princípio, agora e sempre. Amém!