Você está em:

13 de novembro, 33º Domingo do Tempo Comum. Dia mundial dos pobres

Baixar áudio
- Hoje é dia 13 de novembro, 33º Domingo do Tempo Comum. Dia mundial dos pobres.

-Nosso olhar se perde naquilo que passa, se perde e se vai. Várias situações de nossa vida nos mostram que tudo se transforma, tudo pode mudar inesperadamente. Jesus nos exorta a prestar atenção para não sermos enganados, para que testemunhemos nossa fé com grandeza e fidelidade ao Senhor. Peça ao Senhor a graça de confiar na sua presença no meio de nós, mesmo quando as coisas não acontecem como queremos.

-Escuta o Evangelho Segundo Lucas, Capítulo 21, versículos 5 a 19:

“Naquele tempo, algumas pessoas comentavam a respeito do Templo que era enfeitado com belas pedras e com ofertas votivas. Jesus disse: “Vós admirais estas coisas? Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra. Tudo será destruído”. Mas eles perguntaram: “Mestre, quando acontecerá isto? E qual vai ser o sinal de que estas coisas estão para acontecer?”
Jesus respondeu: “Cuidado para não serdes enganados, porque muitos virão em meu nome, dizendo: ‘Sou eu!’ e ainda: ‘O tempo está próximo’. Não sigais essa gente! Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não fiqueis apavorados. É preciso que estas coisas aconteçam primeiro, mas não será logo o fim”. E Jesus continuou: “Um povo se levantará contra outro povo, um país atacará outro país. Haverá grandes terremotos, fomes e pestes em muitos lugares; acontecerão coisas pavorosas e grandes sinais serão vistos no céu. Antes, porém, que estas coisas aconteçam, sereis presos e perseguidos; sereis entregues às sinagogas e postos na prisão; sereis levados diante de reis e governadores por causa do meu nome. Esta será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé.
Fazei o firme propósito de não planejar com antecedência a própria defesa; porque eu vos darei palavras tão acertadas, que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater. Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vós.
Todos vos odiarão por causa do meu nome. Mas vós não perdereis um só fio de cabelo da vossa cabeça. É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!'

- Jesus, ao falar da destruição do Templo de Jerusalém não estava interessado na destruição dos edifícios, e sim, na destruição da vaidade e do orgulho humano; não vislumbrou a ruína dos muros e das pedras, e sim a ruína da vanglória. Sua presença rompe muralhas, afasta as pedras que impediam a manifestação da Vida. A possibilidade de rompermos com um hábito ou com um padrão em nossas vidas é a marca do Evangelho deste domingo. A primeira atitude é reconhecer que nossa vida está “estreita” e que precisamos nos colocar num horizonte diferente. Em Jesus acontece algo totalmente novo. Ele traz uma nova maneira de viver que não cabe nos nossos esquemas. Peça ao Senhor que abra seu coração para perceber a novidade da Vida que Ele está te indicando.

-Como você reage diante de suas crises: na fé, no sentido da vida, nos relacionamentos, nas perdas?

-Disse Jesus: “Esta será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé.
Fazei o firme propósito de não planejar com antecedência a própria defesa; porque eu vos darei palavras tão acertadas, que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater.” Deus está sempre conosco e nunca nos abandona! Mesmo que a vida nos faça duvidar da presença de Deus, faz-se necessário aguardar e esperar a ação de Deus. O poeta Mário Quintana diz assim num poema:

" Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E — ó delicioso voo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…"

-Neste dia mundial dos pobres, provocados por Jesus que diz: “Dai-lhes vós mesmos de comer!”, peça ao Senhor pelos governantes deste país para que olhem para miséria e a fome de milhões de pessoas e zelem por políticas públicas que gerem dignidade e condições de vida digna para todos. Peça que ao Senhor que renove tua esperança a cada dia para que caminhe firme na fé sem esquecer os irmãos e irmãs que passam fome.

- Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém!