Você está em:

09 de agosto, 3ª feira da 19ª semana do Tempo Comum

Baixar áudio
- Hoje é dia 09 de agosto, terça-feira da Décima Nona semana do Tempo Comum.

– A vida comunitária (trabalho, família, grupos, paróquia etc) não é fácil. Rapidamente, acabamos por nos aproximar daqueles que têm interesses comuns aos nossos e formamos as famosas “panelinhas”. Nada de errado nisso. E, dependendo do grupo em que nos encontramos, pode até ser tática de sobrevivência. Entretanto, Jesus pede aos seus para não enxergar aquele que pensa diferente, ou age de outra forma, como um estranho que deve ser eliminado. Peça ao Senhor que te ilumine para que não seja cheio de preconceitos.

- Escuta o Evangelho segundo Mates, capítulo 18, versículos de 1 a 5, 10 e de 12 a 14.

Naquele tempo, “os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram:
"Quem é o maior no Reino dos Céus?" Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles e disse: "Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus.E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe. Não desprezeis nenhum desses pequeninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus. Que vos parece? Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixa ele as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu? Em verdade vos digo, se ele a encontrar, ficará mais feliz com ela, do que com as noventa e nove que não se perderam. Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos".

- Na vida comunitária, nossos pequenos grupos não devem fechar nosso olhar para os outros membros que dela fazem parte. Claramente, não com todas as pessoas eu construirei uma amizade profunda, a ponto de confiar alegrias e sofrimentos. Contudo, termos um mesmo Pai que está nos céus nos coloca como responsáveis pelos outros. Posso não gostar de algumas coisas que estão presentes naquela pessoa, mas, se ela precisar de ajuda e eu puder auxiliar, devo-me colocar à disposição. Peça ao Senhor que seu coração não esqueça de nenhum dos seus pequeninos, sobretudo dos que precisam de ajuda.

- Quem são as pessoas com quem divido a vida cotidianamente? Tenho me mantido atento para as necessidades daqueles que estão ao meu redor?

- “Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus”, diz Jesus. O ato de outro se perder não pode ser medido nos nossos gostos. A pessoa se perde conforme se afasta de Cristo, nosso Norte, e daquilo que ela verdadeiramente pode ser. O desejo não é o de transformar todos para pensarem ou se vestirem de forma igual. Pelo contrário! Que cada um se encontre com Cristo e consigo mesmo, assumindo a beleza e a fadiga de ser a si próprio de forma plena. O outro, em Cristo, é uma forma única de o cristianismo ser vivido, e por isso jamais deve ser desprezado ou mesmo anulado. Como costumava dizer Martin Luther King:

“Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes,
mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.”

- Termina sua oração pedindo que o Senhor te ajude a viver como um irmão ou irmã que deseja cada vez mais trazer o melhor de si e acolher as luzes e sombras que cada pessoa traz.

- Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém!