Você está em:

07 de fevereiro, 2ª feira da 5ª Semana do Tempo Comum

Baixar áudio
-Hoje é dia 07 de fevereiro de 2022, 2ª feira da 5ª Semana do Tempo Comum

- “Logo que desceram da barca, as pessoas imediatamente reconheceram Jesus. E levavam os doentes onde ele estava”, afirma o evangelista Marcos. Jesus, o enviado do Pai, é identificado como o portador da vida plena. Por isso, muitos iam até ele em busca de vida nova, de paz, de força e de saúde. Também nós hoje buscamos tudo isso. Todos queremos paz; todos queremos saúde; todos queremos uma vida digna. Resta saber se buscamos em Jesus, aquele que comunica o amor de Deus, ou se acreditamos em promessas enganosas de falsos messias. Peça ao Senhor que te ajude a discernir sempre.

- Escutemos o Evangelho de Marcos capítulo 6, versículos 53 a 56.

Naquele tempo: Tendo Jesus e seus discípulos acabado de atravessar o mar da Galiléia, chegaram a Genesaré e amarraram a barca. Logo que desceram da barca, as pessoas imediatamente reconheceram Jesus. Percorrendo toda aquela região, levavam os doentes deitados em suas camas para o lugar onde ouviam falar que Jesus estava. E, nos povoados, cidades e campos onde chegavam, colocavam os doentes nas praças e pediam-lhe para tocar, ao menos, a barra de sua veste. E todos quantos o tocavam ficavam curados.

-“E levavam os doentes onde ele estava”. Para reconhecer Jesus como o enviado do Pai, aquele que dá a vida, é preciso tirar o véu do egoísmo e da ganância que cobre nossos olhos. É preciso saber que sua paz não vem por meio de armas e que o seu Reino só acontece quando há cuidado de uns com os outros. Ao reconhecer Jesus como fonte de saúde, numa preocupação com os mais fracos, as pessoas levavam os doentes até ele. Um claro sinal de cuidado com os mais vulneráveis e de serviço aos mais necessitados. Peça ao Senhor que te dê coragem para tirar o véu do egoísmo que impede de reconhecer sua proposta.

- Pense um pouco e reflita. Como reconhecer Jesus como o messias, em meio a tantas perversões religiosas? Como não nos deixar enganar pelos falsos messias, que falam em nome de Deus, mas não trazem vida, nem paz, nem amor? Temos cuidado dos mais fracos e pequeninos de forma a promover sua vida? Ou temos deixado que eles sejam explorados até a última gota pelos estelionatários da fé?

- “Logo que desceram da barca, as pessoas imediatamente reconheceram Jesus”, diz o evangelista Marcos que nos convida a ter duas atitudes: a primeira, reconhecer Jesus em meio aos falsos messias; a segunda, encher de coragem para defender a vida dos mais fracos. Veja o que diz o poema de Solange do Carmo “Reconhecer e seguir”:

Olhos tapados pelo egoísmo,
Não me permitem, ó Pai,
reconhecer o teu filho Jesus,
aquele que é fonte de vida.

Embotados de interesses próprios,
Meus olhos perderam o brilho
E já não distingo o salvador
Entre tantos falsos messias.

Arranca, pois, ó Deus de amor,
essas escamas de meus olhos,
Ainda que venha a doer,
Ainda que a luz venha a ferir-me.

E, descoberta a luz do amor,
Que eu saia de minhas prisões,
Antes nem percebidas por causa das trevas,
Para ir até Jesus.

Seguirei resoluto rumo a teu Filho,
Carregando comigo os crucificados do mundo.
Nós os tiraremos da cruz do abandono,
Pela força do teu amor, ó Pai.

- Termine sua oração pedindo a Deus, o Pai de Jesus, que te fortaleça com o seu Espírito para que você possa reconhecer o Cristo e ir até ele levando conosco consigo os irmãos mais vulneráveis.

-Pai Nosso que estais nos Céus, santificado seja o vosso Nome, venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do Mal.