Você está em:

1º de setembro, 4ª feira da 22ª Semana do Tempo Comum | Início do mês da Bíblia

Baixar áudio
- Hoje é dia 1º de setembro, 4ª feira da 22ª Semana do Tempo Comum. Início do mês da Bíblia.

- A Palavra de Deus é a seiva que alimenta a vida da Igreja. Foi em nossa Arquidiocese que há 50 anos nasceu o mês da Bíblia e, hoje, iniciamos o “A Palavra se fez carne”, que é a meditação do Evangelho de cada dia. Este aplicativo é resposta a um desejo do povo de Deus por ocasião da VI Assembleia de Pastoral de nossa Arquidiocese de Belo Horizonte.
Na cena narrada por São Lucas no Evangelho de hoje, vemos diferentes situações: a cura da sogra de Pedro; a cura de muitos doentes; a oração de Jesus num lugar deserto e a sua insistência na missão. Os olhos e as esperanças daqueles que sofrem buscam a porta da casa onde está Jesus. Peça ao Senhor a graça de também buscar em Jesus a esperança para a sua vida e a dos que mais sofrem.

- Escuta o Evangelho Segundo São Lucas, Capítulo 4, versículos de 38 a 44:

Naquele tempo Jesus saiu da sinagoga e entrou na casa de Simão.
A sogra de Simão estava sofrendo com febre alta, e pediram a Jesus em favor dela.
Inclinando-se sobre ela, Jesus ameaçou a febre, e a febre a deixou.
Imediatamente, ela se levantou e começou a servi-los.
Ao pôr do sol, todos os que tinham doentes atingidos por diversos males,
os levaram a Jesus.
Jesus colocava as mãos em cada um deles e os curava.
De muitas pessoas também saíam demônios, gritando: 'Tu és o Filho de Deus.'
Jesus os ameaçava, e não os deixava falar, porque sabiam que ele era o Messias.
Ao raiar do dia, Jesus saiu, e foi para um lugar deserto.
As multidões o procuravam e, indo até ele, tentavam impedi-lo que os deixasse.
Mas Jesus disse: 'Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus
também a outras cidades, porque para isso é que eu fui enviado.'
E pregava nas sinagogas da Judéia.

- A dor vista de longe não dói em ninguém; a dor vista de longe não chega ao coração. É preciso olhar o sofrimento de perto. Aproximar-se já é começar a identificar-se com quem sofre. E quem sofre, começa a ficar curado quando sente a proximidade solidária dos outros. Quantas distâncias se encurtam quando se toma alguém pela mão, como fez Jesus! Quantos medos são superados quando se toma alguém pela mão. Converse com Deus e deixe que ele se aproxime e lhe pegue pela mão. Peça a Ele também a graça de se aproximar e ajudar, dar as mãos a quem está sofrendo...

- Jesus só sabe servir, não ser servido. Por isso, a mulher curada por Ele se põe a “servir” a todos. Contemple suas mãos: para quem as estende? A quem elas seguram e envolvem? A quantos elas levantam? A quantos elas ajudam?

- “Jesus entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava sofrendo...”. O Evangelho de Jesus é experiência de casa, de comunhão, de compaixão. Na casa que é nosso coração e no coração da comunidade cristã, façamos como a escritora Clarice Lispector que dizia: “Todos os dias, quando acordo, vou correndo tirar a poeira da palavra “amor”.

- Reserve sempre um tempo para rezar a sós ao longo do dia, como Jesus fazia. Termina tua oração dando graças ao Senhor pela vida. Lembre-se de pessoas que precisam de ajuda e de orações. Coloque cada uma no coração de Deus.

- Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém!