Você está em:

Série de lives convida à reflexão e ao discernimento sobre sinodalidade: tema do Sínodo dos Bispos de 2023

A história da sinodalidade na Igreja é tema da primeira de uma série de “lives” que estreia no dia 6 de outubro, às 20 horas. Serão quatro lives com transmissão às quartas-feiras, até o dia 27. O convidado dessa primeira live é o Frei Luiz Antônio Pinheiro e a mediadora, Lucimara Trevisan. A série propõe reflexões  sobre diferentes temas: A história da sinodalidade na Igreja; As experiências sinodais ao longo dos tempos; As iniciativas do Papa Francisco para esta caminhada junto ao povo de Deus; e As experiências sinodais dentro da Igreja.

O propósito da série de lives promovida pelo Vicariato para a Ação Pastoral, em parceria com o Sistema Avançado de Formação, Identidade e Missão Anima PUC  Minas, é discernir sobre a proposta para o Sínodo dos Bispos convocado pelo Papa Francisco, para realização em 2023, com o tema “Uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão”.

Até lá, um processo de escutas, análises e diálogos será realizado nas dioceses e arquidioceses em todo o mundo. Com a convocação do Papa Francisco, a Igreja inteira é convidada a interrogar-se sobre um tema decisivo para a sua vida e a sua missão: “O caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio”. Uma Igreja sinodal, segundo o Papa Francisco, é aquela que “caminha junto”, aproximando leigos, religiosos, padres e bispos em uma missão contínua de difundir o Evangelho. É um caminho eclesial que caracteriza-se por um modelo circular em que os fiéis leigos, religiosos e religiosas, diáconos, presbíteros e bispos se põem em diálogo no discernimento da realidade e busca de novos caminhos, à luz da Palavra de Deus e seu Espírito que sopra onde quer e como quer.

Na Arquidiocese de Belo Horizonte, o arcebispo dom Walmor vem realizando importantes partilhas sobre  a preparação para o Sínodo dos Bispos, em mensagens às assembleias regionais do clero. Dom Walmor sublinha que as reflexões sobre a Igreja como lugar de sinodalidade, isto é, de comunhão e participação num processo que se estenderá, com maior intensidade, até 2023- um tempo de intensa dedicação à fase diocesana, com abertura no dia 17 de outubro de 2021, na Catedral Cristo Rei . “Oportunidade singular para revisão, aperfeiçoamento e avanços, capacitando a Igreja para uma grande reação missionária” – explica o Arcebispo.

Dom Walmor faz ainda um pedido aos sacerdotes para refletir e avaliar em que medida somos uma Igreja sinodal, examinando funcionamentos, em busca de novos passos, fazendo novas propostas. “Em preces e na força da comunhão, vivamos este momento”- conclamou o Arcebispo.