Você está em:

Pastoral da Aids dedica Vigília às vítimas da pandemia neste terceiro domingo de maio

A Pastoral da Aids da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove, neste fim de semana, 14 e 15 de maio, a 39ª Vigília pelas vítimas da Aids. Este ano a  ação retoma o tema “Tantas vidas não podem se perder”, expressão que nos coloca em comunhão com as pessoas que faleceram, alertando-nos a ser vigilantes no cuidado com a vida.  Na Arquidiocese de Belo Horizonte, a Pastoral da Aids pede que as Missas, deste terceiro domingo de maio, sejam celebradas também em intenção às vítimas da Aids. 

A proposta da Vigília é conclamar a todos a promover a vida através da corresponsabilidade humana para diminuir as fragilidades e vulnerabilidades, promovendo um espírito fraterno e solidário no cuidado com o próximo.

Movimento internacional

A Vigília é um movimento internacional que iniciou em maio de 1983, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. É um movimento de memória para  lembrar e rezar, além de ser um momento celebrativo, sensibilizando as comunidades para a realidade da Aids, que ainda continua a provocar novas mortes.