Santuário Arquidiocesano

Catedral Cristo Rei

08h
- Missa

10h30
- Missa
17h
- Missa
Você está em:

Clero: a profissão mais feliz, aponta pesquisa

Ser feliz no trabalho é um desejo universal, mas existem profissões que trazem maior felicidade às pessoas, tanto pela rotina produtiva quanto pela sensação de bem-estar que gera aos profissionais. Uma lista divulgada pela revista Forbes, com base em pesquisa realizada pela Universidade de Chicago, desenvolvida por psicólogos do trabalho e especialistas em Recursos Humanos, mostrou que a ajuda ao próximo é uma grande fonte de felicidade.  Acompanhe o resultado da pesquisa:

Profissões com maior índice de felicidade

1) Clero

Como membros da Igreja Católica e de outras congregações cristãs, esses sacerdotes são felizes em seus trabalhos porque atendem a população guiados pela fé e pela paixão pelo serviço. Nesse sentido, podem ajudar pessoas em necessidade, sendo verdadeiros guias para os indivíduos durante momentos de dificuldade.

 

2) Bombeiros

Comumente contratados por meio de concursos públicos, esses profissionais podem não receber os maiores salários e estar constantemente em contato com o perigo, mas ainda assim são felizes em sua profissão.

Além disso, costumam ser apaixonados pela adrenalina em suas rotinas de trabalho, e pela oportunidade de serem vistos como heróis pelas pessoas.

3) Fisioterapeutas

Ainda que tenham que passar por faculdades e especializações, esses profissionais encontram grande satisfação em ver seus pacientes superando dificuldades e se desenvolvendo nos processos de recuperação. Portanto, mesmo que sejam acionados após acidentes graves, ficam felizes durante a reabilitação de seus pacientes, em especial nos casos mais graves

4) Escritor

Como um trabalho pautado principalmente na imaginação, esses profissionais ficam felizes por poder criar universos, personagens e histórias que irão agradar ao público, em especial quando conquistam uma legião de fãs. Além disso, não precisam trabalhar para chefes ou atender demandas.

5) Professores de educação especial

Acima de tudo, esses profissionais ficam felizes por trabalhar com indivíduos que possuem necessidades especiais e pessoas com deficiência, pois a satisfação de acompanhar a evolução cognitiva desses pacientes é uma grande compensação. Porém, é necessário ser especializado para atuar nesse serviço.

6) Professores

Apesar dos salários baixos e da profissão desvalorizada, os professores são apaixonados pela oportunidade de participar da formação humana e intelectual das pessoas. Neste sentido, acompanhar crianças em seu desenvolvimento até a vida adulta, podendo ser referências para eles, é considerado uma honra.

7) Artistas plásticos

Também desvalorizada e muitas vezes vista como um hobby pela sociedade, os artistas plásticos trabalham com imaginação e criatividade, assim como os escritores. Desse modo, são motivados pela possibilidade de criar algo novo, transformando pensamentos e ideias em algo tátil.

8) Psicólogos

Sobretudo, a felicidade nessa profissão está relacionada à possibilidade de ajudar as pessoas em seus desafios, mas também a satisfação em entender mais sobre o funcionamento psicológico do organismo. Portanto, as diferentes abordagens oferecem perspectivas diversas sobre o indivíduo, ampliando o conhecimento do especialista.

9) Corretor de serviços financeiros

Ainda que pareça principalmente um trabalho de escritório, os corretores encontram felicidade na estabilidade, rotina e bons salários. Sendo assim, não está diretamente relacionado ao contato com outras pessoas, mas sim pelas características próprias da profissão.

10) Engenheiro operacional

Além dos bons pagamentos e benefícios, os engenheiros operacionais parecem encontrar satisfação em pilotar grandes máquinas como escavadeiras e empilhadeiras. Ademais, a felicidade parte do contato direto com esses equipamentos, na manutenção e atualização dos maquinários.

 

VEJA TAMBÉM