Santuário Arquidiocesano

Catedral Cristo Rei

08h
- Missa

10h30
- Missa
17h
- Missa
Você está em:

Catequese do Papa: A fé não é “coisa de velho”, merece respeito e honra

O Papa Francisco, em continuidade ao seu ciclo de catequeses sobre a velhice, na Audiência Geral desta quarta-feira (4/5), realizada na Sala Paulo VI, refletiu sobre o tema “A fé merece respeito e honra”. O Santo Padre destacou sobre um episódio envolvendo o personagem bíblico Eleazar.

O decreto do rei Antíoco Epífanes obrigava os judeus a comer carne imolada aos ídolos. Os executores do decreto, pela amizade que nutriam por Eleazar, sugeriam-lhe fingir que a comia, mas sem realmente o fazer. Deste modo, teria a vida salva. “Não é assim!” – contra argumentou Eleazar.

Um idoso que concordasse em considerar irrelevante a prática da fé, levaria os jovens a acreditar que a fé não tem verdadeira relação com a vida, tratando-se apenas de um conjunto de atitudes e costumes que poderiam, em caso de necessidade, ser simulados ou disfarçados.

Tal comportamento não honraria a fé, mesmo diante de Deus, e o efeito desta banalização seria devastador para os jovens. Levaria a nova geração a pensar que tal crença não tem uma relação com a vida, que era uma ficção, uma cobertura externa que poderia ser abandonada.

Catequese do Papa

A fé merece respeito e honra

A antiga gnose heterodoxa, “que está na moda em muitos centros de espiritualidade”, teorizava precisamente isto: que a fé é uma espiritualidade, não uma prática; uma força da mente, não uma forma de vida.

A fé é outra coisa”, destacou o Papa, sobretudo aquela cristã, que é realística.  “A fé cristã não é só dizer o Credo”, acrescentou, “é pensar, sentir e fazer o Credo. É agir com as mãos. E nunca pode ser reduzida a um conjunto de regras alimentares ou práticas sociais”.

Santo Papa reforçou que “a fé merece respeito e honra até ao fim: mudou a nossa vida, purificou a nossa mente, ensinou-nos a adoração a Deus e o amor ao próximo. É uma bênção para todos! Toda a fé, não somente uma parte.”

Olhar para os jovens

Não podemos trocá-la por um punhado de dias tranquilos, como testemunhou Eleazar. Com humilde firmeza, concluiu o Papa Francisco, demonstraremos, precisamente na velhice, que acreditar não é “coisa de velhos”. “Não! É coisa de vida!”

O Pontífice se dirigiu diretamente aos idosos: “Por favor, olhemos para os jovens. Eles nos olham, não se esqueçam disto. (…) E a nossa coerência pode abrir uma estrada de vida belíssima a eles. E o contrário, uma eventual hipocrisia, fará tanto mal. Rezemos uns pelos outros. Que Deus abençoe todos os idosos.

VEJA TAMBÉM