República Reviver: ambiente para recuperar vidas

Um novo sentido para a própria vida é o que conquistou Carlos Rodrigues Lima, de 45 anos, após ser amparado na República Reviver, instituição mantida pela Arquidiocese de Belo Horizonte, em parceria com o poder público. Sua trajetória nas ruas começou em 2004, quando deixou a sua casa, em São Paulo, em razão de conflitos familiares, e passou a viver em Belo Horizonte. Nas ruas da Capital Mineira, consumia oito garrafas de álcool por semana. A dependência era tão grande que Carlos Rodrigues chegou até mesmo a comprar a bebida nos postos de combustível. Além do alcoolismo, ele também se envolveu com outras drogas, principalmente com o crack e chegou a ser preso. Mas, percebendo-se no fundo do poço, ele decidiu procurar ajuda.

Em 2014, conheceu o trabalho do Centro Pop e, logo depois, se mudou para a República Reviver. Os dias em que caminhava pelas ruas com as roupas sujas e sem perspectivas ficaram no passado. Agora, com a autoestima recuperada, ele faz questão de usar roupas bem cuidadas e os sapatos engraxados. Para se livrar da dependência química, ele passou a integrar um grupo de Alcoólicos Anônimos (AA). E no dia 22 de outubro de 2016, junto com os integrantes desse grupo, Carlos Rodrigues celebrou uma conquista importante: um ano sem consumir bebida alcoólica. Depois dos muitos abraços que recebeu de seus amigos, ele foi agraciado com um singelo chaveiro, que simboliza essa vitória em sua vida. Atualmente, sua trajetória de recuperação inspira outras pessoas. Carlos Rodrigues periodicamente realiza palestras em que partilha a sua história. Nos últimos meses, ele ainda fez cursos de primeiros socorros, de vigilante e de porteiro.

Sobre o futuro, Carlos sonha em reatar, mesmo que seja somente via redes sociais, o contato com as três filhas que ele viu, pela última vez, quando ainda eram pequenas. Hoje, elas têm, respectivamente, 25, 27 e 29 anos. “Decididamente, aprendi que nunca é tarde demais para encontrar um novo rumo para a vida”, conclui.

A República Reviver, que tanto ajuda no processo de recuperação de Carlos, completou 22 anos em 2016, com uma importante conquista: no dia 18 de agosto, a República passou a funcionar em nova sede, localizada na Avenida Amazonas, 5.801, no bairro Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte. Cercada por árvores e muito verde, o novo espaço da República possibilitou a ampliação do número de vagas oferecidas pela Instituição – de 40 para 50. O serviço de acolhimento é destinado às pessoas em situação de rua que buscam dar novo rumo para a própria vida. Para isso, os acolhidos contam com acompanhamento socioassistencial, oficinas, palestras e outras atividades. Na República Reviver, o morador pode ser acolhido por 18 meses. Depois desse prazo, há uma reavaliação e, normalmente, o morador alcança a sua autonomia. Fortalecido, passa a investir mais em planos pessoais e conquista, com os próprios esforços, o direito à moradia, alugando um imóvel.
A Instituição funciona em sistema de cogestão, com regras definidas pelos próprios moradores em assembleia. Além disso, eles contribuem com os trabalhos de limpeza e lavam as próprias roupas. Atualmente, 14 profissionais trabalham na República. “A participação de todos os moradores nas atividades rotineiras é essencial para que eles possam recuperar a autoestima e, em um ambiente de cooperação, superar esse momento conturbado da vida deles”, explica a supervisora de projetos Raquel Jannuzzi, que integra a equipe da República Reviver.

VEJA TAMBÉM