Você está em:

Rede de solidariedade ampara comunidades da Arquidiocese de BH

O Núcleo de Acolhida e Articulação da Solidariedade Paroquial (Naasp), da Arquidiocese de Belo Horizonte articula uma rede de solidariedade com o objetivo de ajudar os mais pobres com ações que visem à promoção humana e à recuperação da dignidade. Além do apoio a quem precisa, o Naasp pretende incentivar os leigos que desejam se tornar ministros para a ação social da Igreja.

O serviço social acontece com a criação de núcleos, a partir de equipes que entram em contato com as comunidades de fé e incentivam as paróquias a buscarem voluntários que desejam acolher os mais pobres nas suas muitas necessidades. Com o apoio do Sistema Integrado de Ações Paroquiais (Siasp), uma plataforma digital, cada comunidade de fé poderá conhecer o trabalho desenvolvido em outras comunidades e partilhar suas iniciativas.

Outro projeto estratégico do Vicariato é aprimorar o conceito de paróquias irmãs. Nesse caso, as paróquias com mais recursos humanos e também materiais vão auxiliar aquelas que se inserem nas regiões mais pobres. Várias paróquias já aderiram ao Naasp, dentre elas a Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Justinópolis, onde jovens da comunidade Nossa Senhora da Conceição  desenvolvem um projeto de resgate da cultura local.

Na comunidade Nossa Senhora do Rosário, em Ribeirão das Neves, um projeto de formação de jovens envolve aulas de capoeira, danças típicas, além de apresentações culturais ligadas à religiosidade. Uma escolinha de futebol atende 50 crianças, com idades entre seis e 16 anos. Esse projeto tem o nome de “Escolinha de Futebol Porto Seguro”. O objetivo é preencher o tempo ocioso das crianças e trabalhar questões como  o respeito à individualidade e a disciplina.

Na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Justinópolis, quatro advogados leigos atendem a população pobre que necessita de orientação jurídica. Também estão prestando serviço voluntário um nutricionista e uma auriculoterapeuta.

Todas as iniciativas buscam ajudar as pessoas a se fortalecerem, naquilo que se sentem mais fragilizadas, desde a orientação para o retorno ao mercado de trabalho, ajudas emergenciais ou recuperação da saúde. Obras que evangelizam pelo testemunho cristão.

 

 

VEJA TAMBÉM