Projeto Vila Fátima fortalece vínculos familiares e comunitários

“Fiz muitos amigos e passei a ter contato com pessoas que antes eu só conhecia de vista. Acho isso muito legal”, comemora Ariene Lorenay, 17 anos, que ainda destaca: o relacionamento com a família também melhorou muito desde que entrou no Projeto Vila Fátima, no início de 2016. Com o objetivo principal de fortalecer os vínculos familiares e comunitários, a fim de prevenir situações de vulnerabilidade pessoal e social, o projeto, iniciado em 2012, é desenvolvido pela Arquidiocese de Belo Horizonte, por meio da PUC Minas e Providência Nossa Senhora da Conceição.

O projeto é desenvolvido em Justinópolis, bairro de Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte, e realizou, no primeiro semestre de 2016, três mil atendimentos. Foram ofertadas 11 oficinas voltadas para os jovens, seus familiares e pessoas da comunidade. Entre as oficinas estão a de robótica, jogos digitais, fotografia, educação financeira, formação humana, artesanato e gestão e empreendedorismo.

Para ampliar ainda mais a atuação do Vila Fátima, em 2016, a equipe do projeto, em parceria com o Núcleo de Meio Ambiente e Saúde (Numas) da Pró-reitoria de Extensão da PUC Minas, realizou o primeiro Vila Fátima Cidadania. O evento reuniu oficinas com material reciclável e rodas de conversa sobre o direito à saúde, além de atividades esportivas, feira de artesanato e de alimentos, aferição de pressão arterial, entre outras atividades. “Achei muito interessante. O evento detalhou alguns temas muito legais, como, por exemplo, sustentabilidade, que foi um dos que eu mais gostei”, conta Ariene.

O Vila Fátima Cidadania contou com a participação de quase 50 professores, alunos e funcionários da PUC Minas nas diversas atividades. “O Vila Fátima é um centro de referência para a juventude e comunidades de Justinópolis. Por isso, tivemos a ideia de realizar esse evento a fim de fortalecer a relação entre o projeto e as famílias locais, além de reforçar o seu caráter extensionista”, explica a coordenadora acadêmica do projeto pela PUC Minas, professora Luciana Fagundes.
Para além das visitas técnicas e das oficinas ofertadas no projeto, o Vila Fátima participou de seis oficinas da oitava edição da Semana de Ciência, Arte e Política (Scap) da PUC Minas São Gabriel, da I Mostra de Extensão e no XI Seminário de Extensão da PUC Minas com a apresentação de quatro trabalhos. O Núcleo de Investigação e Extensão da Criança, do Adolescente e do Jovem (ICA), da Pró-reitoria de Extensão, ofertou uma formação para a equipe do projeto sobre o papel do educador social e as juventudes.

Ampliação

Com o objetivo de fortalecer e criar vínculos com as instituições de Justinópolis, propiciando à comunidade um espaço de acolhida, diálogo e construção de conhecimento, a equipe do Vila Fátima criou o Projeto Vila na Comunidade, que consiste em estender a presença do Projeto na região de Justinópolis. “Nossa ideia é a ampliação do nosso trabalho a partir da identificação das demandas da comunidade. Podem ser oficinas, rodas de conversa, cinema comentado, palestras. Vamos alinhando as demandas com os nossos parceiros e levando o projeto e a Universidade até essas pessoas”, explica Viviane Corsino, coordenadora local do Projeto Vila Fátima. Os parceiros, nessa nova proposta, são creches, escolas e outros equipamentos sociais de Justinópolis.

O Vila na Comunidade é uma forma de o projeto se fortalecer, já considerando as novas possibilidades que irão surgir com a construção de sua nova sede. Para ampliar os atendimentos dedicados à formação de jovens da região, foi assinado um protocolo de intenções entre a Arquidiocese de Belo Horizonte e Instituto MRV, com o apoio da TV Globo Minas, para construir o novo prédio do projeto que passará a se chamar Estação Galileia. O espaço terá área de lazer, salas de aula e estrutura para aprendizado e desenvolvimento humano, ampliando as atividades para crianças de 7 a 14 anos.
O Vila Fátima realizou 5.303 atendimentos somente no 1º semestre de 2016.

VEJA TAMBÉM