Pastoral da Sobriedade: espiritualidade, amor e disciplina ajudam na superação da dependência

A Pastoral da Sobriedade na Arquidiocese e Belo Horizonte realiza um importante trabalho, ajudando pessoas a superarem dependências, fundamentado, sobretudo,  na Palavra de Deus e na pedagogia de Jesus Cristo.  São 30 grupos que atuam em Belo Horizonte e nas cidades de Ribeirão das Neves, Contagem, Betim, Vespasiano, Ibirité e Nova Lima.  Além da dependência química, a Pastoral ajuda as pessoas a se libertarem do consumo exagerado de chocolates e doces, da compra compulsiva, do uso sem limite da internet e do celular, dos jogos de azar.  “Nosso sonho continua sendo ter em cada Paróquia, em cada Comunidade, um Grupo da Pastoral da Sobriedade” – afirma o padre Pedro José dos Santos, um dos coordenadores da Pastoral da Sobriedade.

Os grupos de autoajuda se reúnem semanalmente e a Pastoral segue a terapia do amor proposta pelo Papa João Paulo II, que compreende 12 passos: Admitir a sua dependência e tomar consciência de que sozinho não se consegue vencer;  confiar que a cura depende da graça divina e que Deus ouve nosso clamor; entregar-se plenamente nas mãos de Deus;  arrepender-se de todo o mal provocado a si mesmo e às pessoas; confessar  e buscar o perdão de si mesmo, das pessoas e de Deus; renascer para uma vida nova na sobriedade, tornando-se uma nova pessoa; trabalhar para reparação financeira e moral de todo mal causado, buscando resgatar a própria dignidade e a confiança das pessoas;  professar a fé na Santíssima Trindade, pedir ajuda da Igreja e trabalhar para melhorar os conhecimentos da Palavra de Deus;  orar e vigiar para evitar recaídas e buscar a verdadeira paz, a paz do Senhor; servir gratuitamente, principalmente aos excluídos e os marginalizados, pois são eles os preferidos da Pastoral da Sobriedade;  celebrar a Eucaristia em comunidade buscando força e discernimento para continuar perseverante na caminhada; e festejar a sobriedade cristã, partilhando e anunciando Jesus Cristo em busca de uma vida sóbria, sem dependências.

A Pastoral da Sobriedade atua ainda estruturada em cinco pilares: prevenção, internação, recuperação, reinserção familiar e social e atuação política, que consiste na participação dos coordenadores na criação e aprovação de políticas públicas específicas para dependentes químicos e seus familiares.

De acordo com o Padre Pedro José dos Santos, é importante enfatizar que a Pastoral da Sobriedade, com seu Programa de Vida Nova, faz o tratamento de todo o tipo de dependência, e não somente da dependência química. “Trabalhamos o consumo exagerado de chocolates e doces, a compra compulsiva, o uso sem limite da internet e do celular com sobriedade, os jogos de azar, entre outros”, explica o vigário da paróquia Santa Luzia, localizada no bairro Cidade Nova em Belo Horizonte.

Recuperando Vidas

Padre Pedro José dos Santos (esq) e Willian Batista de Jesus dos Santos (dir), com integrantes da Pastoral da sobriedade

De segunda a segunda, a vida do servente de pedreiro e auxiliar de serviços gerais  Willian Batista  de Jesus dos Santos era percorrer os bares do bairro Minas Caixa em Belo Horizonte onde mora.  “Por mais de 10 anos, eu bebi compulsivamente e me entreguei ao álcool. Já bebia antes, mas foi na última década que me afundei de vez”, diz Willian Santos.  No começo, ele bebia cerveja, mas sua situação piorou quando passou a tomar pinga ou cachaça. Para alimentar o vício, desfez-se de muitos bens. Também não tomava café da manhã, nem almoçava ou jantava.

A vida desregrada o afastou de amigos e, principalmente dos filhos, dois casais com idades de 16, 19, 20 e 21 anos. “Eles só me viam desmaiado de tanta bebida e deixaram de me visitar por um bom tempo. Isso me deixava ainda mais depressivo”, conta o servente.

Ele se lembra de que no início de 2017, a situação piorou tanto que, para mudar definitivamente a sua história, pediu ajuda a sua mãe, Maria José de Jesus, com quem morava.  Ambos foram até a Pastoral da Sobriedade da Paróquia  São Sebastião e Santa Edwiges do Bairro Minas Caixa.

Pouco tempo depois de começar a frequentar as reuniões da Pastoral da Sobriedade, Willian conseguiu a internação na Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus localizada em Sete Lagoas, onde ficou por oito meses, até março de 2018. “Fui resgatado pela Pastoral da Sobriedade e hoje  estou  em uma trajetória muito diferente.  Valorizando a minha família, meu trabalho e agradecendo a Deus esta nova chance que me deu para uma vida bem melhor”. Com isso, os filhos também voltaram a visitá-lo com regularidade. “Eles estão sempre felizes e a gente divide esta alegria”, conta Willian, que há quase dois anos não ingere nenhuma bebida com álcool. Agora, ele pretende ajudar a resgatar pessoas próximas que ainda se encontram mergulhadas no vício, como tios, primos e amigos.

VEJA TAMBÉM