Paróquia Sagrada Família: espiritualidade e acolhimento ajudam na reinserção social de pessoas com trajetória de rua

O movimento às segundas-feiras é intenso na Paróquia Sagrada Família. Há quatro anos 80 voluntários se organizam para levar carinho, afeto, alimentação, cobertores, calçados e roupas para cerca de 300 moradores de rua que se concentram na área hospitalar, no Barro Preto, Centro, Funcionários, Santa Teresa, Floresta, Sagrada Família.

O trabalho começa na parte da manhã, quando voluntários pegam doações de alimentos com comerciantes e moradores da região. À tarde, um grupo de cozinheiros faz a triagem dos alimentos e prepara uma saborosa sopa enquanto outro grupo de voluntários promove um bazar. À noite, cinco equipes de voluntários percorrem os locais para fazer a abordagem aos moradores de rua.

Durante o encontro, são realizados momentos ricos em reflexões bíblicas. Uma equipe volante, coordenada por um dos idealizadores do projeto, Carlos Eduardo Ferreira Lemes, fornece ajuda aos que pretendem se internar, já que muitos são dependentes químicos. A mesma equipe faz um trabalho de pós-acompanhamento.

Atualmente, o grupo está construindo dois barracões para moradores de rua. Um dos moradores, que foi resgatado, capacitou-se em um curso para cabeleireiros e hoje trabalha na cidade de São Paulo, mas sempre agradece ao grupo pela oportunidade que o fez abandonar o mundo das drogas.

VEJA TAMBÉM