Grupo de Costura da Paróquia São João Evangelista, no bairro Serra, realiza a 50ª edição do Bazar de Natal

O Grupo de Costura da Paróquia São João Evangelista, no bairro Serra, celebra com entusiasmo a realização da edição de número 50 de seu Bazar de Natal, no dia 18 de novembro. Um marco no trabalho das 45 senhoras que, durante todo o ano, produzem jogos de cama, mesa e banho, almofadas, alguns itens para enxovais de bebê, além dos mais de 500 panos de prato bordados e com barras de croché.

As integrantes do Grupo de Costura, com idades que variam de 65 a 90 anos, trabalham com dedicação e energia para cumprir a meta a que se propõem. A amizade, o companheirismo e a alegria são o combustível para o trabalho que se iniciou como uma ação social e para ajudar na aquisição dos elementos necessários à liturgia das celebrações.

A senhora Alzira Maria de Siqueira, aos 72 anos, começou a participar das atividades há 32 anos, quando os dois filhos ainda eram adolescentes. Hoje, com quatro netos, celebra as amizades duradouras que se fortaleceram enquanto todas trabalhavam juntas pelo bem comum. São amigas que se divertem, viajam juntas e, em retribuição a tantos de anos de entrega, recebem a dádiva de um convívio saudável que não deixa suas vidas caírem na monotonia ou na solidão.

Do Grupo de Costura nasceu outra importante atividade: as aulas de Dança Sênior, ministradas uma vez por semana pela professora Sandra Regina, psicóloga que se especializou nessa modalidade.

A Dança Sênior oferece à pessoa a possibilidade de dançar em pé ou sentada, o que a torna acessível para pessoas com limitações de movimento. Assim, promove a integração de todos. É uma atividade socializante e física que agrega a função de prevenir as perdas de habilidades que vêm com o passar dos anos. É ideal para o idoso por não causar estresse, pois é agradável dançar e estar com os outros, enquanto a música faz a marcação dos movimentos. Segundo a professora, a Dança Sênior trabalha a coordenação, a lateralidade, a concentração e outras habilidades essenciais a uma boa qualidade de vida.

Os cadeirantes ou mesmo aqueles que têm dificuldades para caminhar ganham a oportunidade de trabalhar o corpo, a motricidade, a respiração até a circulação, pois a Dança Sênior estimula importantes funções da mente, a exemplo da memória, pois é necessário gravar a sequência de passos, e ainda manter a atenção, a concentração, seguir o ritmo. “Além disso, a atividade física estimula a produção de hormônios que proporcionam alegria e bem estar”.

As apresentações para a comunidade é um incentivo extra, além dos muitos benefícios que as pessoas recebem com a prática semanal. Participar da programação das festas faz com que as senhoras se sintam acolhidas e valorizadas. “A atuação delas enriquece muito as festas da Paróquia São João Evangelista, como por exemplo nas festas juninas”.

Atualmente, o grupo ensaia para participar do Vesperal, que será realizado no Centro de Referência da Pessoa Idosa, no bairro Jardim Montanhês, em Belo Horizonte, no dia primeiro de dezembro.

Ao longo de sua experiência em diversos grupos de Dança Sênior, a professora relata casos de pessoas que reduziram medicamos e até superaram a depressão. A socialização e o acolhimento do grupo são aspectos que, de acordo com a professora, são importantes para a saúde emocional e psicológica. Assim, ela ressalta que a modalidade é indicada para todas as idades, e quando mais cedo iniciam-se as atividades, mais eficaz a dança será na prevenção das perdas físicas e cognitivas.

VEJA TAMBÉM