Você está em:

Rezemos pelos cristãos acusados e perseguidos

No Angelus deste dia de Santo Estevão, o Papa recordou a ligação entre Belém e o Calvário

No Angelus desta manhã o Papa Francisco referiu-se ao facto da Liturgia prolongar por oito dias a Solenidade do Natal e neste segundo dia da Oitava do Natal, na alegria do Natal encontramos a Festa de Santo Estevão, o primeiro mártir da Igreja:

“O livro dos Atos dos Apóstolos apresenta-nos como ‘um homem cheio de fé e do Espírito Santo’ escolhido com outros seis para o serviço das viúvas e dos pobres na comunidade de Jerusalém. E conta-nos o seu martírio: quando, após um discurso inflamado que suscitou a ira dos membros do Sinédrio, foi arrastado para fora dos muros da cidade e lapidado. Estevão morreu como Jesus, pedindo o perdão para os seus executores.”

Segundo o Santo Padre no clima alegre do Natal, esta comemoração de um mártire até poderia parecer deslocada, mas não é. Porque o Natal não é uma fábula e o martírio de Santo Estevão está em plena sintonia com significado profundo do Natal. Jesus transforma a morte numa aurora de vida nova – continuou o Papa – que evocou a memória do primeiro mártir da Igreja e ligou o Nascimento de Belém àquele do Calvário:
“A memória do primeiro mártir vem, assim, imediatamente, a dissolver uma falsa imagem do Natal: a imagem enfabulada e doce, que no Evangelho não existe! A liturgia leva-nos ao sentido autêntico da Encarnação, ligando Belém ao Calvário e recordando-nos que a salvação divina implica a luta ao pecado e passa através da porta estreita da Cruz.”

O Santo Padre recordou, assim, todos aqueles que são discriminados e perseguidos pela sua fé em Jesus Cristo:
“Por isso rezemos hoje em modo particular pelos cristãos que sofrem discriminações por causa do seu testemunho por Cristo e pelo Evangelho. Estamos unidos as estes irmãos e irmãs que, como Santo Estevão, são acusados injustamente e feitos objeto de violências de vário tipo.”

 

O Papa propôs uma oração silenciosa por todos os os cristãos perseguidos no mundo, terminando com uma oração a Nossa Senhora…

Após a oração do Angelus o Papa Francisco saudou todos os que estavam na Praça de São Pedro especialmente os grupos paroquiais e as associações presentes, apelando para que o Natal faça suscitar em todos um empenho de amor nas famílias e nas comunidades vivido em clima de intensa fraternidade. A todos desejou boas festas natalícias e um bom almoço..

Rádio Vaticana

VEJA TAMBÉM