Você está em:

Papa propõe uma ‘sã inquietude’ para os jovens

Papa Francisco se reuniu com fiéis na Praça São Pedro e começou um novo ciclo de catequeses sobre os Mandamentos. “Se os jovens não forem famintos de vida autêntica, para onde irá a humanidade?”.

Nesta quarta-feira, 13 de junho, o Papa Francisco se reuniu com fiéis, turistas e romanos na Praça São Pedro e começou um novo ciclo de catequeses sobre os Mandamentos.

Praça lotada ouviu a catequese

Cerca de 20 mil pessoas participaram do encontro e ouviram as palavras do Pontífice, resumidas em seguida em várias línguas, inclusive português.

Para introduzir o tema, o Papa começou repassando um trecho do Evangelho de Marcos, lembrando o episódio daquele homem que foi a Jesus e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?”. Ele queria ter vida infinita. Jesus lhe respondeu citando os mandamentos; abriu um processo pedagógico procurando guiá-lo até àquilo que lhe faltava. Mas o homem respondeu: “Mestre, tudo isso eu tenho observado desde a minha juventude”.

A busca da vida plena

“Quantos jovens querem ‘viver’ e se destroem correndo atrás de coisas efêmeras? Alguns pensam que seja melhor apagar este impulso, pois é perigoso. Gostaria de dizer especialmente aos jovens: Nosso maior inimigo não são os problemas concretos, mesmo sérios ou dramáticos. O maior perigo é o espírito de adaptação ruim, que não é mansidão ou humildade, mas mediocridade ou covardia. A vida do jovem é ir avante, ser inquieto: a inquietude salutar, a capacidade de não se contentar de uma vida sem beleza, sem cores”.

“Se os jovens não forem famintos de vida autêntica, para onde irá a humanidade”?

Francisco explicou que a passagem da juventude à maturidade se dá “quando iniciamos a aceitar nossos limites; quando tomamos consciência daquilo que falta […] E nos últimos séculos, a história nos mostra uma verdade que o homem muitas vezes se recusou a enxergar e que causou consequências trágicas: a verdade de seus limites”.

A resposta de Jesus

“Mas para alcançar ‘aquilo que falta’, deve-se partir da realidade. E Jesus, fitando aquele homem com amor, lhe dá a resposta: Só te falta uma coisa: vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me, ou seja, pare de viver de si mesmo, de suas obras e de seus bens, deixe tudo para seguir o Senhor, isso é a perfeição, o pleno cumprimento”.

“Quem, podendo escolher entre o original e a cópia, opta pela cópia? […] Este é o desafio: encontrar o original. Jesus não oferece substitutos, mas vida verdadeira, amor verdadeiro, plenitude de vida. É preciso perscrutar o ordinário para nos abrirmos ao extraordinário”.

Copa da Rússia: saudação e apelo pela paz

Depois de pronunciar sua catequese, o Papa saudou os grupos presentes na Praça, inclusive os brasileiros e portugueses, e dirigiu uma saudação aos jogadores e organizadores da Copa do Mundo de Futebol, que começa na quinta-feira, 14 de maio, na Rússia.

Definindo o campeonato como ‘um evento social que supera todas as fronteiras’, Francisco disse: “Que esta importante manifestação esportiva possa ser uma ocasião de encontro, diálogo e fraternidade entre culturas e religiões, favorecendo a solidariedade e a paz entre as nações”.

VEJA TAMBÉM