Você está em:

Papa Francisco faz novo apelo por liberade religiosa


 

O Santo Padre defendeu o direito do ser humano de à prática religiosa, durante missa celebrada em Colombo, no Sri LAnka para a canonização de José Vaz, primeiro santo do Sri Lanka.

Diante de mais de meio milhão de fiéis o PApa Francisco proclamou o oratoriano José Vaz Primeiro, santo do Sri Lanka. E durante a celebração de canonização, o pontífice lançou novo apelo à liberdade religiosa, definindo-a “direito humano fundamental”. Recordou que cada um “deve ser livre, sozinho ou associado a outros, para procurar a verdade, expressar abertamente as suas convicções religiosas, e de intimidações e  constrangimentos externos».

A canonização do religioso, que entre os séculos XVII e XVIII testemunhou no país a “mensagem evangélica da reconciliação” no meio de perseguições e violências, ofereceu ao Papa a ocasião para renovar o convite à não instrumentalizar a religião. “Como nos ensina a vida de José Vaz – recordou na homilia – a adoração autêntica de Deus não leva à discriminação, ao ódio e à violência, mas ao respeito pela sacralidade da vida, ao respeito pela dignidade e a liberdade dos outros e ao compromisso afectuoso pelo bem-estar de todos”.

Uma mensagem relançada também no encontro sucessivo no santuário mariano de Madhu, lugar símbolo do “longo conflito que dilacerou o coração do Sri Lanka”. Recolhendo-se em oração diante da estátua de Nossa Senhora – que precisamente por causa dos confrontos violentos teve que abandonar por um período o santuário – o Papa exortou a população a perseverar no “difícil esforço de perdoar e de encontrar a paz”. Um convite dirigido expressamente a ambas as comunidades tamil e cingalesa, chamadas a construir a unidade perdida a fim de garantir ao país um futuro de reconciliação, justiça e paz.

Na quinta-feira 15, o Papa Francisco despediu-se do Sri Lanka e transferiu-se para as Filipinas, segunda meta da viagem apostólica. Em Manila, onde chegará por volta das 17.45 hora local, está prevista só uma breve cerimónia de boas-vindas no aeroporto. Na manhã de sexta-feira terão lugar os encontros sucessivos, com a visita ao presidente da República, o encontro com as autoridades e a missa na catedral.

L’Osservatore Romano

VEJA TAMBÉM