Você está em:

Papa despede-se do Sri-Lanka e segue para Manila

O Papa Francisco terminou esta manhã, cedo,  a sua visita ao Sri-Lanka, primeira etapa desta sua segunda viagem apostólica à Ásia, e encontra-se neste momento no voo que o leva às Filipinas, onde a sua chegada está prevista às 17.45 hora locai, 10.45, em Roma.

As últimas horas da visita ao Sri-Lanka foram marcadas pela Missa em privado às 6.30 hora local, seguida da despedida da Nunciatura Apostólica de Colombo e a transferência ao Santuário de “Nossa Senhora do Lanka”, em Bolawana, 35km a Oeste de Colombo. Ali, o Papa deteve-se em oração na Capela dedicada precisamente a “Nossa Senhora do Lanka”. A capela encontra-se integrada no complexo do Instituto Cultural Bento XVI, onde o Papa Francisco  foi acolhido pelo Reitor do mesmo, P. Mahamalage Quintus Fernando, que o acompanhou à capela, onde já se encontravam 10 padres jesuítas da Comunidade próxima do Centro, e um coro de alguns pescadores da zona. No exterior estavam cerca de 250 operários que colaboraram na construção do Centro.

O Santuário de “Nossa Senhora do Lanka”  afunda as suas raízes em 1911. Inicialmente era dedicada a Nossa Senhora de Lourdes, razão pela qual foi integrada com uma gruta em 1917, atraindo um número cada vez maior de peregrinos. Isto tornou necessária a sua ampliação.

Com o início da Segunda Guerra Mundial, o arcebispo de Colombo, Cardeal Jean Marie Masson, fez votos a Nossa Senhora  de que teria mandado construir um Santuário com o nome de “Nossa Senhora do Lanka” se o País fosse poupado aos horrores da guerra.  Assim foi.  A  construção terminou em 1947 e a consagração da nova estrutura teve lugar a 6 de Fevereiro desse mesmo ano com o título de Basílica Menor,  concedido pelo Papa Paulo VI.

A construção do complexo do “Instituto Cultural Bento XVI”  começou, pelo contrário, em 2011, sob a orientação do arcebispo de Colombo, Cardeal Malcolm Ranjith, com o objectivo de colaborar com as Autoridades e as outras agencias do País na reconstrução da nação srilankesa após a terrível guerra de 30 anos. O Instituto é composto por um Departamento de Dialogo Inter-religioso e Cooperação, um Departamento Linguístico para o ensino de línguas estrangeiras, e um Departamento de Estudos Superiores (Ciências humanas, teologia e filosofia, economia e comércio, informática, etc.).

Do Santuário de “Nossa Senhora do Lanka”, o Papa dirigiu-se ao Aeroporto de Colombo, onde se despediu do país na presença do Presidente da República e outras autoridades civis e religiosas e um grupo de fiéis.

Às 9.00 horas locais (4.30 da manhã em Roma), descolagem para Manila, onde se prevê a sua chegada depois de 6 horas e 15 minutos de voo.

Durante o voo prevê-se que o Papa envie telegramas de saudação e orações aos países sobrevoados, o próprio Sri-Lanka, Índia, Myanmar, Tailândia, Camboja e Vietnam.

Ontem, ao regressar do Santuário de Madhu, no norte do Sri-Lanka, a convite  de um monge budista, o Papa Francisco visitou um Templo budista em Colombo. Recorde-se que também o Papa João Paulo II visitara um templo budista quando esteve no país em 1984.

Na Nunciatura, Francisco recebeu o ex-Presidente do Sri-Lanka, Rajapaska (que, com as eleições do passado dia 8 deste mês, foi substituído por Mithripala Sirisena) acompanhado pela família e irmão da esposa.

Ainda na Nunciatura, o Papa recebeu os 20 bispos do Sri-Lanka, mantendo com eles um breve colóquio e um momento de oração. O encontro com os bispos estava previsto para o primeiro dia da visita e depois para ontem, mas foi adiado devido a atrasos no programa.

De salientar ainda que por ocasião desta visita do Papa ao Sri-Lanka, as autoridades srilankesas libertaram ontem,  612 detidos, 575 homens e 37 mulheres. A notícia foi dada pelo Administrador penitenciário, Thushara Upuldeniya, citado pelo jornal  Daily Mirror de Colombo. Os beneficiários da graça presidencial, anciãos com mais de 75 anos de idade e detidos por crimes menores. A libertação foi celebrada com uma cerimónia na “Welikada Prison”.


 Rádio Vaticana

VEJA TAMBÉM