Você está em:

Oração do Angelus: “Construir uma sociedade mais justa e solidária”

Cidade do Vaticano (RV) – Após a celebração Eucarística, o Papa Francisco deixou a Basílica Vaticana e se dirigiu à janela da terceira loggia do Palácio Apostólico para rezar a oração do Angelus com os milhares de fiéis, que superlotavam a Praça São Pedro.

Em sua primeira alocução mariana do ano, o Santo Padre dirigiu a todos as suas felicitações de paz e bem. Os seus augúrios são os mesmos da Igreja: são augúrios cristãos para que reine a paz, a justiça, a liberdade e o amor entre os povos.

A seguir, o Papa recordou o Dia Mundial da Paz, que tem como tema “Fraternidade, fundamento e caminho para a paz” e explicou:
“Na sua base há a convicção de que nós todos somos filhos do único Pai, fazemos parte da família humana e partilhamos o mesmo destino. Disso deriva a responsabilidade de cada um de atuar, para que o mundo se torne uma verdadeira comunidade de irmãos, que se respeitam e aceitam as diversidades e cuidam uns dos outros. Somos chamados a dar-nos conta das violências e injustiças em muitas partes do mundo, que não nos podem deixar indiferentes e imóveis. Todos nós devemos construir uma sociedade mais justa e solidária”.

A seguir, o Santo Padre disse que, no primeiro dia do ano, em todas as partes do mundo, os cristãos elevam suas orações para pedir ao Senhor o dom da paz e a força para levá-la a todos os ambientes. Mas, a paz requer também a força da mansidão, da não-violência, da verdade e do amor. Aqui, o Papa insistiu dizendo que “a paz começa em nossas casas. A justiça e a paz começam entre nós, em nossas famílias, para depois chegar a toda a humanidade”. Por fim, exortou:

“Nas mãos de Maria, Mãe do Redentor, coloquemos, com confiança filial, as nossas esperanças. Confiemos a ela o grito de paz das populações oprimidas pelas guerras e as violências, para que a coragem do diálogo e da reconciliação prevaleça sobre as tentações de vingança, de prepotência, de corrupção”.

O Papa concluiu a oração mariana, convidando exortando os fiéis a pedirem a Nossa Senhora “para que o Evangelho da fraternidade, anunciado e testemunhado pela Igreja, possa falar às consciências e abater os muros, que impedem aos inimigos de se reconhecer cristãos”.

Após a oração mariana do Angelus, o Papa Francisco passou a fazer sua saudação aos presentes, mas, de modo especial, agradeceu o Presidente da Itália, pelos seus augúrios de fim de ano, que fez em rede nacional, além das felicitações que fizeram por telefone.

O Bispo de Roma aproveitou para invocar de Deus as bênçãos para o povo italiano, afim de que possa, de modo responsável e solidário, contribuir para o bem de todos e olhar o futuro com confiança e esperança!
Depois, o Pontífice expressou sua gratidão também pelas tantas iniciativas de oração e de compromisso pela paz, em todas as partes do mundo, por ocasião do Dia Mundial da Paz.

O Santo Padre fez uma saudação particular aos “Cantores da Estrela”, em alemão Stersinger, que levaram as ofertas ao altar durante a Santa Missa: eram três jovens, vestidos de branco e com uma coroa na cabeça. Os “Cantores da Estrela”, como o Papa explicou, são crianças e jovens que, na Alemanha e Áustria, levam às casas a bênção de Jesus e coletam ofertas para as crianças mais necessitadas.
Ao término da oração do Angelus, o Papa Francisco desejou a todos um “Ano Novo de Paz”, com a graça do Senhor e a proteção de Nossa Senhora.

Recordamos que, na parte da tarde, deste primeiro dia de ano, o Papa, como Bispo de Roma, foi visitar, em forma estritamente particular, a Basílica de Santa Maria Maior, em pleno centro da capital italiana.
O Pontífice se deteve por alguns instantes de oração diante da imagem da Mãe de Deus, chamada “Salus Popoli Romani” (“Salvação do Povo Romano”). Esta foi a sétima vez que Papa Francisco esteve na Basílica mariana de Roma. (MT)
     

Rádio Vaticana
 

VEJA TAMBÉM