Você está em:

Experiência dos Magos evoca caminho dos homens rumo a Cristo

Cidade do Vaticano (RV) – Após a missa celebrada pela manhã na Basílica Vaticana, ao meio-dia o Papa assomou à janela do palácio apostólico para recitar a oração mariana do Angelus com mais de 50 mil fiéis e peregrinos presentes na Praça São Pedro. Francisco reiterou que a Epifania nos recorda que Jesus veio ao mundo para salvar todos os povos.

Recordamos que a solenidade da Epifania do Senhor foi celebrada pela Igreja no Brasil no domingo passado.

A Epifania amplia nossos olhares para o horizonte do mundo e nos fala da vontade de Deus de salvar toda a humanidade. Deus – afirmou o Santo Padre – “não reserva seu amor para alguns privilegiados, mas o oferece a todos. Como o Criador e o Pai é de todos, assim quer ser o Salvador de todos”:

“Por isto, somos chamados a ter sempre grande confiança e esperança em relação a toda pessoa e à sua salvação: também aqueles que nos parecem distantes do Senhor são seguidos – ou melhor “acompanhados” – por seu amor apaixonado, por seu amor fiel e também humilde.”

A viagem dos Magos – ressaltou – é “como uma viagem da alma, como um caminho rumo ao encontro com Cristo. Eles são atentos aos sinais que indicam a sua presença; são incansáveis no enfrentar as dificuldades da busca; são corajosos no acatar as consequências de vida derivantes do encontro com o Senhor”.

A vida é esta – acrescentou o Papa falando sem texto –, a vida cristã é caminhar, mas sendo atentos, incansáveis e corajosos. Assim caminha um cristão. Caminhar, atento, incansável e corajoso. A experiência dos Magos evoca o caminho de cada homem rumo a Cristo.

“Como para os Magos, também para nós buscar Deus significa caminhar, fixando o olhar para o céu percebendo no sinal visível da estrela o Deus invisível que fala ao nosso coração. A estrela que é capaz de guiar todo homem é a Palavra de Deus.” Ela – acrescentou – “é luz que orienta o nosso caminho, alimenta nossa fé e a regenera. É a Palavra de Deus que renova continuamente nossos corações e nossas comunidades”:

“Portanto, não nos esqueçamos de lê-la e meditá-la todos os dias, a fim de que se torne para cada um uma chama que carregamos dentro de nós para iluminar nossos passos, e também os de quem caminha junto a nós, que talvez tenha dificuldade de encontrar o caminho rumo a Cristo. Sempre com a Palavra de Deus. A Palavra de Deus ao alcance da mão: um pequeno Evangelho de bolso, na bolsa, sempre, para lê-lo. Não se esqueçam disso: a Palavra de Deus sempre comigo.”

Em seguida, o pensamento do Papa Francisco voltou-se para os irmãos e irmãs do Oriente cristão, católicos e ortodoxos, muitos dos quais celebram amanhã, quarta-feira o Natal do Senhor: “Cheguem até eles nossas afetuosas felicitações”.

Por fim, o Pontífice recordou que na solenidade da Epifania do Senhor celebra-se o Dia Mundial da Infância Missionária:

“É a festa das crianças que vivem com alegria o dom da fé e rezam a fim de que a luz de Jesus chegue a todos os meninos e meninas do mundo. Encorajo os educadores a cultivarem nas crianças o espírito missionário. Que não sejam crianças e adolescentes fechados, mas abertos; que vejam um grande horizonte, que o coração deles siga adiante rumo ao horizonte, a fim de que nasçam entre eles testemunhas da ternura de Deus e anunciadores do Evangelho.”

O Santo Padre concedeu a todos a sua Bênção apostólica.

 

Rádio Vaticana

VEJA TAMBÉM