Você está em:

Dia da Vida na Inglaterra. Papa: defendê-la do início ao fim

O Papa Francisco enviou as suas felicitações e apoio à Igreja da Inglaterra e País de Gales, por ocasião do Dia da Vida, que se celebra domingo, (26/7) dedicado este ano ao fim da vida com o título “Cultivar a vida, aceitar a morte”. O anúncio foi feito pela agência da Conferência Episcopal local.

A mensagem recebida pelo Núncio na Grã-Bretanha, Dom Antonio Mennini, foi entregue ao bispo responsável pela celebração, Dom John Sherrington. No texto, o Santo Padre concede a sua bênção apostólica “a todas as pessoas que participam neste significativo evento e que trabalham de várias maneiras para a promoção da dignidade de cada pessoa humana desde a concepção até à morte natural”.

Suicídio assistido

O tema escolhido para este ano insere-se na vasta Campanha de conscientização promovida pelos bispos ingleses e galeses em vista do debate e da votação na Câmara dos Comuns sobre o projecto de lei relativo ao suicídio assistido, previstos para 11 de setembro. Apresentada por Rob Marris, a proposta visa tornar possível, para os doentes terminais adultos, a escolha de pôr fim à própria vida com uma específica assistência médica. Se aprovada pelo Parlamento, os médicos podem, portanto, injectar fármacos letais aos pacientes terminais para ajudá-los a morrer.

Não acelerar a morte

Na mensagem para o Dia da Vida divulgada em junho passado, os bispos ingleses procuraram enfatizar dois pontos-chave para a Igreja sobre o fim da vida: de um lado, que é errado “acelerar ou provocar a morte”, porque “Deus vai nos chamar no tempo certo”; do outro o não à terapia obstinada “quando os tratamentos não têm nenhum efeito, ou até mesmo prejudicam os pacientes”. (BS/SP)

Rádio Vaticana

VEJA TAMBÉM