Você está em:

Cristãos podem testemunhar juntos a misericórdia de Deus

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos é o tema da Audiência Geral desta semana.

Os países do Hemisfério Norte começaram a celebrar a Semana na segunda-feira (18/01), com a conclusão marcada para o dia 25, Quando é celebrada a Festa da conversão de São Paulo. Na ocasião, o Papa Francisco preside a celebração ecumênica na Basílica de São Paulo Fora dos Muros, a partir das 17h30 locais. No Hemisfério Sul, os cristãos celebram esta iniciativa entre Ascensão e Pentecostes.

Frio em Roma

Em razão do frio de 2 graus, o Papa recebeu os fiéis na Sala Paulo VI, cumprimentando-os no início do encontro semanal. Ao tomar a palavra, Francisco comentou o trecho da Primeira Carta de São Pedro escolhido para esta semana ecumênica: “Chamados a proclamar os altos feitos do Senhor”. Este ano, a elaboração dos subsídios ficou a cargo de um grupo da Letônia.

A primeira Carta de Pedro é dirigida à primeira geração de cristãos, explicou o Papa, para torná-los conscientes do dom recebido com o Batismo e das exigência que comporta. “Também nós, nesta Semana de Oração, somos convidados a redescobrir tudo isso, e a fazê-lo juntos, indo além de nossas divisões.”

Batismo, fonte de misericórdia

Antes de tudo, prosseguiu o Pontífice, compartilhar o Batismo significa que todos somos pecadores e precisamos ser salvos, redimidos e libertados do mal. Significa que católicos, protestantes e ortodoxos são chamados a compartilhar a experiência de sair das trevas e ir ao encontro com o Deus vivo e cheio de misericórdia. Infelizmente, constatou, todos fazem experiência do egoísmo, que gera divisão, fechamento e desprezo. Com o Batismo, é possível reencontrar a fonte da misericórdia.

Para Francisco, compartilhar essa graça cria um elo indissolúvel entre os cristãos, já que, em virtude do Batismo, podemos nos considerar realmente irmãos. “A misericórdia de Deus atuante no Batismo é mais forte do que as nossas divisões. É mais forte”, reiterou.  Por isso, todos nós, os cristãos, podemos e devemos anunciar a força do Evangelho, comprometendo-nos juntos na realização das obras de misericórdia espirituais e corporais. Este é um testemunho concreto de unidade.

O Papa concluiu:

“Temos a missão comum de transmitir aos outros a misericórdia que recebemos de Deus, começando pelos mais pobres e abandonados. Durante esta Semana de Oração, rezemos para que todos nós discípulos de Cristo encontremos o modo de colaborar juntos para levar a misericórdia do Pai a todas as partes da terra.

 

Rádio Vaticana

VEJA TAMBÉM