Você está em:

Audiência Geral – Papa reflete sobre a complentaridade entre o homem e a mulher

A diferença entre homem e mulher “não é para a contraposição nem a subordinação” mas “para a comunhão e a procriação”. Afirmou o Papa Francisco na audiência geral de quarta-feira, 15 de Abril, na Praça de São Pedro, recordando que no ser humano a “diferença sexual” tem em si “a imagem e semelhança de Deus”.

“O homem considerado só em si mesmo não é a imagem de Deus, nem a mulher considerada só em si mesma é a imagem de Deus, mas o homem e a mulher, como casal, são imagem de Deus» – explicou o Pontífice na catequese dedicada ainda às temáticas da família. Isso significa que “para se conhecer bem e crescer harmoniosamente o ser humano precisa da reciprocidade entre homem e mulher”. De fato, sem ela “os dois não podem nem sequer entender até ao fim o que significa ser homem e mulher”.

A propósito Francisco frisou como a chamada teoria do gender na realidade é a “expressão da frustração e de uma resignação que visa cancelar a diferença sexual porque já não sabe confrontar-se com ela”. Aliás, os “problemas de relação” entre homem e mulher devem ser resolvidos com o diálogo, a escuta, o conhecimento e o amor: “com essas bases humanas apoiadas pela graça de Deus” – garantiu o Papa – “é possível projectar a união matrimonial e familiar para toda a vida”.

O Pontífice lançou também um forte apelo a valorizar o papel da mulher e a dar à sua voz o valor real e uma autoridade reconhecida na Igreja e na sociedade. “É um caminho que leva longe”, afirmou, reconhecendo, contudo, que até hoje foi percorrido só “um pedacinho”. Segund o Sabto PAdre, falta entender em profundidade quais são as coisas que nos pode oferecer o genio feminino, o que a mulher pode oferecer à sociedade e também a nós: a mulher sabe ver tudo com olhos que completam o pensamento dos homens. Em todo caso, afirmou, trata-se de um caminho a percorrer com mais criatividade e audácia. 

VEJA TAMBÉM